Pesquisa personalizada

terça-feira, maio 05, 2009

Rafael Mendes

O maior nome da categoria até 65kg, Rubens Charles “Cobrinha” mais uma vez chegou como favorito para levar o título do Mundial Profissional, que terminou ontem em Abu Dhabi. Porém, Rafael Mendes tinha outros planos. Depois de ser derrotado por Cobrinha duas vezes, Rafael mudou de estratégia e foi com tudo para cima do tricampeão mundial, superando o grande nome no peso e faturando, de quebra, sete mil dólares com a conquista. Em conversa com a TATAME, Rafael falou sobre a emoção da conquista, seus planos para o Mundial da CBJJ e avisou: “quero ganhar o maior número de títulos na categoria pena faixa-preta”.

Essa é a sua terceira luta com o Cobrinha, e dessa vez foi, né? Gostaria que você falasse sobre essa vitória.

Graças a Deus, dessa vez eu consegui dar os meus 100%, foi o meu melhor desempenho no campeonato. Na primeira vez que eu lutei com ele, ele foi melhor do que eu, não consegui encaixar as minhas posições e me desenvolver. A segunda foi no Pan, onde eu estava ganhando e, faltando um minuto, acabei sendo desclassificado, numa posição que o juiz disse que eu torci o joelho dele... Dessa vez, vim muito preparado para lutar com ele, sabia que existiam grandes adversários na categoria e que poderia haver um novo confronto com ele, prometi pra mim mesmo que daria o meu melhor, que dessa vez eu tinha que ganhar, e acabou dando tudo certo. Eu admiro muito o Cobrinha, ele é um excelente atleta e, apesar de parecer que existe essa rivalidade entre a gente, mas eu não tenho nada contra ele. Não sei se ele tem alguma coisa contra mim, gostaria que isso ficasse bem claro... Eu estou muito feliz de ter conseguido essa vitória.

O que você corrigiu na academia pra essa luta? Que tática diferente adotou para que os resultados anteriores não se repetissem?

Sempre que eu perco uma luta, tento tirar proveito disso, ver o lado bom, analisar onde eu errei e tentar corrigir. Nas lutas que eu fiz com ele, percebi que eu tinha chance de ter atacado mais, de conseguir impor mais o meu ritmo, porque eu achei que, mesmo no Pan, onde eu estava ganhando, eu tinha chance de atacar mais e eu estava deixando ele atacar muito, acabava só tendo que defender. Dessa vez, decidi que ia atacar mais e essa era a minha estratégia, conseguir fazer o meu ataque para obrigar ele a se defender e acho que foi isso que fez a diferença.

Você acha que as lutas entre vocês vão ser sempre decididas no detalhe?

Com certeza. As lutas entre a gente sempre vão ser duras. Eu sou um atleta duro, ele também, existem outros atletas duros... A nossa luta sempre vai ser aquela luta pau a pau e acho que as vitórias do passado não garantem nada no futuro. Eu ganhei agora, mas posso perder depois e vice-versa... Ele estava ganhando há três anos atrás e perdeu. A única coisa que garante é o treinamento, então vou continuar com o meu treinamento pleno e forte para as próximas competições.

Sua intenção, agora, é tirar a hegemonia do Cobrinha no Mundial?

Eu vou treinar pra ganhar o Mundial da CBJJ, independente se eu fizer um confronto com ele ou não. Esse é o meu primeiro ano de faixa-preta e quero chegar bem forte no Mundial. Vamos eu, meu irmão (Guilherme Mendes), o Bruninho (Frazatto) e a galera lá de Rio Claro, o Guto (Campos), o (Gilbert) Durinho, (Cláudio) Calazans, Rodrigo Caporal e o meu professor, Ramon (Lemos), que provavelmente vai lutar.

Você é um cara muito novo... Qual o seu objetivo, quer fazer história na categoria?

O meu objetivo é esse. Quero ganhar o maior número de títulos na categoria pena faixa-preta, tentar passar o que o Cobrinha e o Royler fizeram. Admiro muito eles por terem conseguido isso, mas quero conseguir mais para marcar o meu nome na faixa-preta categoria pena... Quero me sair bem também no ADCC, que vai ser em setembro, eu acho. Espero fazer uma boa campanha no ADCC.

Você acha que deixou o Royler feliz?

Não sei... Foi uma luta dura, tomara que ele tenha ficado feliz por mim, né? (risos)
Fonte TATAME

Nenhum comentário: