Pesquisa personalizada

segunda-feira, agosto 31, 2009

Final Absoluto Marrom / Sudeste-Brasileiro

Diogo Almeida(ALLIANCE) vs Leandro

Sábado de emoções no Sudeste Brasileiro

Francisco Fernandes Jr derruba Peinado no absoluto

O campeão mundial Francisco Fernandes Jr estava sem competir desde 2007. Na época, pesando 165kg, o líder da Gracie Barra Detonando, em Cuiabá, no Mato Grosso, enfrentava problemas de saúde decorrentes do excesso de peso, como pressão alta. “O Carlinhos [Carlos Gracie Jr] ficava me dando bronca, dizendo que eu ia morrer no tatame”, contou Chiquinho, que decidiu fazer uma cirurgia de redução de estômago e perdeu mais de 70kg.
De volta à vida de atleta, Chiquinho mostrou um pouco da técnica que o fez ser campeão mundial do pesadíssimo, em 2005. Na final do absoluto faixa-preta do 1º Campeonato Sudeste Brasileiro de Jiu-Jitsu, realizado nesse sábado, em São Paulo, Francisco Jr conseguiu usar bem as regras do jogo para anular o favoritismo de Antônio Peinado, da Allliance e garantir o ouro.

Foram 10 minutos de luta em pé, pouca movimentação e apenas uma troca de punições. Peinado acabou sendo punido uma vez a mais e cedeu dois pontos a Francisco, que acabou com o ouro. Surpresa? “Surpreso não, já que tenho mais de 23 anos de experiência em competições. Sou filho de professor faixa-preta [Francisco Ferreira] e sei usar bem as regras ao meu favor”, analisou o campeão de 27 anos. Mais jovem, Peinado não escondia a insatisfação com o resultado final: “O tatame do evento estava escorregadio demais e nessa última luta me senti muito cansado”, reconheceu o vice-campeão.
Nos pesos da faixa-preta, muita técnica e alguns grandes nomes do esporte. Lutando no pluma, Bruno Malfacine (Alliance), o bicho papão entre os levinhos em 2009, mais uma vez foi à luta e saiu da competição com mais um ouro: “Não ia lutar, mas o general Gurgel deu a ordem e eu vim. Foi bom até para eu ver como me sairia entre atletas mais pesados, já que luto de galo”, contou o campeão mundial, que se saiu muito bem
ao fazer 11 a 2 em Leandro Martins (Check Matt) na final.

No peso leve, Bruno Frazatto (lutando pela Careca BJJ) pegou dois pescoços para ficar com o ouro, primeiro Paulo Ledes (Liberi GB) e depois Rubens Padua (Ryan) . A presença do vice-campeão do pena em 2009 no sudeste Brasileiro faz parte de uma estratégia de longo prazo, como revelou Bruninho: “Ano passado senti que cheguei no Mundial com pouca bagagem de competição. Então, para esse novo ciclo que acaba no Mundial 2010 quero lutar o maior número de competições possível”.

No médio, um belo triângulo garantiu a medalha de ouro para Orlando Zanetti (Atos JJ) na final contra Diego Gamonal (BTT). No meio-pesado, domínio total da Alliance. Sérgio Henrique e Fabiano Junior fecharam o peso e Fabiano ficou com o primeiro lugar. A mesma coisa aconteceu no super-pesado. Depois de fazer 4 a 0 em Augusto Ferrari (Barbosa), Antônio Peinado (Alliance) chegou à final com Fábio Romão (Alliance), que havia feito 5 a 0 em Guilherme Domingo (Competition). Medalha para Romão, título para Peinado.

No pesadíssimo, mais uma volta. Luiz Felipe Theodoro (Godoi JJ) machucou o joelho pouco antes do Mundial 2009 e não pôde lutar. De volta, Big Mac apresentou seu conhecido jogo e usou o peso para superar primeiro Diego Turquino (GB MT) por 6 a 0, e depois Francisco Fernandes Jr por 4 a 0.

Entre as mulheres, apenas o peso pesado teve disputa. Gabrielle Garcia (Alliance) superou Diana de Souza (Bom Sai) na única luta feminina dos pesos da marrom-preta. No absoluto, nova vitória de Gabrielle. No triangular com Diana e Talita Nogueira (Ryan), Gabrielle fez 5 a 0 em Talita, que depois ganhou de Diana na decisão, mas voltou a perder para Gabrielle, que a finalizou no pescoço da montada.

Na faixa-marrom, destaque para a presença de Michel Langhi, estrela ascendente da Alliance. No absoluto, nova vitória da equipe de Fábio Gurgel, com Diogo Almeida, que fez três lutas, finalizou duas e fechou o meio-pesado com os colegas Vicente Gomes e Gustavo Junqueira. Na faixa-roxa, Rafael Domingos (Demian Maia) ficou com o ouro no absoluto ao vencer Ricardo Mesquita (Alliance) por 4 a 0. Entre os masters, destaque para Luciano Nucci (Alliance), que apesar de já ter idade para sênior, fez bonito entre os “meninos” e levou o absoluto para o delírio da maior torcida do evento: “Há doze anos tenho minha academia na Mooca. Essa torcida são os meus alunos”.

Diogo mira o céu na marrom
Com 315 atletas inscritos, o Sudeste Brasileiro foi considerado um sucesso pela CBJJ. O coordenador Judson Borges avaliou: “Para esse primeiro evento, esperávamos entre 300 e 500 atletas. O resultado foi ótimo”. O único senão foi a pouca iluminação do ginásio Baby Barione, que prejudicou muito o trabalho dos fotógrafos e a qualidade das fotos do evento.
Fonte GracieMAG

quinta-feira, agosto 27, 2009

Lesão não tira Tanquinho do Br. de Equipes

A parceria entre a Gama Filho e a Soul Fighters rendeu ano passado uma medalha de ouro entre os leves, no Brasileiro de Equipes. Se em time que está ganhando não se mexe, as equipes decidiram fechar a parceria novamente este ano, e esperam repetir o feito do ano passado. E o time de leves está reforçado, com Augusto Mendes “Tanquinho”, Rafael Formiga, Vinicius Marinho, Denílson Pimenta e Theodoro Canal, que estarão no torneio no dia 12 de setembro.

Porém, durante os treinamentos da última segunda-feira (24), Tanquinho machucou a costela, o que deixou a equipe toda em alerta, mas nada que o desanimasse. O atleta vai ficar alguns dias de repouso, mas garantiu que vai lutar. “Eu machuquei a costela e vou ter que ficar um tempinho sem treinar. Se fosse individual, acho que eu nem participaria, não teria condições, mas como é por equipes, eu vou participar”, disse.

Com um grande time, Tanquinho esbanja confiança, mesmo que precise ficar apenas na torcida. “Talvez não seja eu que vá fazer a diferença, mas os cinco escalados vêm de resultados excelentes, são campeões... Caso eu não esteja 100% até lá, os outros vão se superar pela equipe”, disse o faixa-preta, sonhando alto. “Nossa expectativa é ser campeão novamente, repetindo essa parceria, que deu certo no ano passado”, finalizou o faixa-preta.
Fonte TATAME

Esquisito condena a guarda 50-50

Tricampeão brasileiro e campeão do Rio Open, Carlos “Esquisito” Vieira não fica em cima do muro quando o assunto é a polêmica guarda 50-50, que ficou famosa com os irmãos Mendes e vem tirando o sono de muita gente. Atleta da Checkmat, Esquisito criticou a guarda, que, para ele, deixa a luta monótona e feia.

“Com essa posição a luta não tem movimentação alguma, é uma posição de estratégia para ganhar vantagem e, no final do tempo, se quiserem ganhar por pontos, eles efetuam a raspagem... A luta fica feia, não flui. É só ver as últimas lutas que o Rafael Mendes fez, e uma delas ele até perdeu, na minha opinião, para o Pimenta, no Mundial de 2009”, condenou Esquisito, dando sugestões para “aliviar” a polêmica.

"Acho que poderiam estipular um tempo para quem fizesse essa posição porque a luta fica muito monótona, e o Jiu-Jitsu tem uma gama enorme de posições que podem deixar a luta muito mais dinâmica e boa de ser apreciada”, analisou Esquisito. Para saber mais sobre a guarda 50-50 e a opinião dos maiores atletas da arte suave sobre a posição, além de um treino aberto exclusivo com os irmãos Mendes e Bruno Frazatto, corra até a banca mais próxima e garanta a edição de agosto da Revista TATAME!

Fonte TATAME

Galvão: “Vou para ser campeão do ADCC”

Em 2007, André Galvão voltou para casa com duas medalhas de bronze do ADCC, ao derrotar Mike Fowler e Alexandre Cacareco nas semifinais do peso e absoluto, mas quer fazer diferente este ano. Focando sua carreira no MMA, onde já conquistou três vitórias, o faixa-preta vai empolgado para Barcelona, onde acontece o ADCC, no final de setembro, e promete o seu melhor. “Estou feliz de estar participando e vou chegar lá para ser campeão”, garante.

Campeão da seletiva do ADCC, que aconteceu no começo do ano no Rio de Janeiro, Galvão mudou de peso de olho no ouro. “Agora estou na categoria de cima e não vou precisar perder peso. Me sinto mais à vontade com isso. Acho que vou me dar bem, porque estou treinando forte e me alimentando bem para chegar lá 100% e fazer bonito”, afirmou, revelando que vai em busca, também, do absoluto: “vou lutar tudo”.

Animado, André reconhece que o caminho não será tranquilo. “O peso tem grandes nomes, como o Bráulio, Tarsis e o pessoal de fora, não sei se o Nate Marquardt vai lutar... Mas eu me preocupo mais com o pessoal do Jiu-Jitsu. Toda luta vai ser dura, não tem nenhum bobo ali, mas, se Deus quiser, eu vou arrebentar”, analisou Galvão, comentando as pedreiras que podem passar pela sua frente no absoluto. “Tem o Xande, um cara duro, o Tarsis... Tem grandes nomes, mas vou estar preparado para lutar de igual para igual com todo mundo, indo pra cima o tempo todo e botando o meu ritmo”, promete.

ESTREIA NO STRIKEFORCE

Após perder uma luta polêmica no Dream, Galvão pode estrear no Strikeforce ainda este ano. “Ainda não tem nada confirmado, mas devo lutar lá em meados de outubro ou novembro”, revelou o atleta, contando que os treinos para o ADCC devem ajudar na sua preparação para o MMA. “Estou mais focado no MMA, mas com o treino é muito parecido, acredito que o gás vai fazer com que eu renda mais, me ajudando a explodir e dar mais giro”, disse, lamentando algumas falhas no seu jogo na semifinal do GP do Dream.

“Na minha luta, acho que perdi muita posição e o moleque teve o mérito dele de aguentar a pressão ali, então quero lutar o ADCC para lapidar o meu Jiu-Jitsu, não esquecer a arte que eu vim”, afirmou, analisando a categoria no evento americano. “Tem o nick Diaz, Jake Shields, caras duros e experientes... Por enquanto, não estou muito preocupado com isso. Todo mundo lá é duro e eu só preciso saber com quem vou lutar para preparar a estratégia certa”, afirmou Galvão, mandando uma mensagem para seus fãs. “Queria mandar um abraço para todo mundo que torce por mim... Vou estar lutando no ADCC e Strikeforce, agora na grade, então peço a todos que continuem torcendo pó mim. Jesus é o único caminho pra salvação”, finalizou.
Fonte TATAME

Rafael Mendes e a 50/50

Criador da polêmica guarda enfrenta a pergunta que não sabe responder
Campeão da seletiva sul-americana para o ADCC 2009, o peso-pena Rafael Mendes viu uma de suas criações, a guarda 50/50, ser seguramente o golpe mais bombardeado do ano. Bombardeado na teoria e na prática, inclusive, com contra-ataques criados especialmente pela Alliance, para desatar o nó que a posição se transformou.

Mas ele não quer mais saber de polêmica. Preparando-se para o ADCC 2009, Rafael comentou com o GRACIEMAG.com como anda seus treinos, as novas invenções e até elogiou os antídotos para a guarda “maldita”. Mas o contra-ataque, como ele revela, já está sendo preparado.

O que acharam ao ver as saídas da guarda 50/50 criadas pela Alliance no GRACIEMAG.com?
Acho que tudo é valido, mas estão esquecendo que quem está por baixo tem dois braços para usar, não está com as mãos amarradas. Eles estão mostrando posições em que o cara que está por baixo fica como um boneco imóvel. Ai fica fácil. Mas tudo é válido, dessas tentativas podem ir surgindo alguma posição melhor. Acho que este foi um passo gigante, em vez de criticar estão tentando evoluir.

Como está sua rotina pós-Mundial? Criando posições novas sem kimono para mostrar no ADCC 2009, em Barcelona?
O Mundial sempre te inspira. Vi algumas lutas que me chamaram a atenção e me fizeram analisar o jogo do adversário. Mas me surpreendi mesmo com um companheiro nosso, o Eduardo Ramos, um pena faixa-marrom da equipe que chegou à final mostrando uma excelente guarda.

Mas Jiu-Jitsu sem kimono é outro esporte, muito diferente, não tem as pegadas, não tem a mesma estabilidade, e a velocidade aumenta. Posso garantir que estou treinando muito. E sim, estou com posições novas que podem surpreender bastante.

Chegou a estudar o jogo de alguém em especial para o ADCC?
Não estou me preocupando muito em estudar o jogo dos adversários. Assisto a algumas lutas para criar estratégias, mas estou preocupado mesmo em melhorar tudo que preciso para chegar no ADCC com um jogo completo. Espero fazer um grande campeonato, se Deus quiser ser campeão. Estou treinando muito para isso.

Naquele seletiva para Abu Dhabi em 2007, em que você foi vice-campeão ao só perder para o Bruno Frazatto, Léo Vieira estava no seu córner. Este ano, vocês podem se enfrentar, dependendo das chaves da divisão até 66kg. Vai ter luta?
Não sei, já me perguntaram isso, mas eu não sei responder. Eu gosto muito do Léo, admiro ele demais, e não gostaria que acontecesse essa luta, mas tenho sonhos também, e preciso brigar por eles.

Como você avalia o estilo do atual campeão até 66kg, o brasiliense Rani Yahya?
Rani é experiente, lutou tres edições do evento já, e é muito bom.

E a superluta entre Roger Gracie e o desafiante Robert Drysdale, como você acha que vai ser?
Roger é excelente, e o Drysdale mostrou ser perigoso sem kimono no último ADCC, finalizando o Marcelinho e fazendo grandes lutas. Acredito que quem treinar mais vai vencer.

* Rafael Mendes parte da saída da Alliance

* Guilherme Mendes parte da saída da Alliance

* Rafael Mendes parte da saída da Checkmat
Fonte GracieMAG

Lucas Lepri

terça-feira, agosto 25, 2009

Luanna Alzuguir

Michael Langhi

Robinho e a invasão do Jiu-Jitsu na Suíça

Aluno de Jair Lourenço, mestre da Kimura Nova União, Robson Pinheiro Dantas é um dos braços fortes do Jiu-Jitsu na Suíça. Mais conhecido como Robinho, além de ensinar a arte suave por lá, o lutador agora terá um importante papel nas competições do país. Depois de fundar a Federação Helvética de Jiu-Jitsu Esportivo (FHJJE), trabalha forte para a realização do primeiro Campeonato Europeu da CBJJE, que acontece nos dias 19 e 20 de setembro. Robinho comenta sobre o evento e o Jiu-Jitsu no país.

O que espera da realização deste primeiro Campeonato Europeu?
Para o nosso primeiro Europeu tínhamos uma meta em relação à quantidade de atletas inscritos e que, graças a Deus, superou as nossas expectativas. Com isso daremos outra possibilidades aos atletas de Jiu-Jitsu, com mais competições, e conseqüentemente desenvolveremos mais o nosso esporte na Suiça e na Europa. Queremos que esse campeonato faça parte do calendário anual dos atletas.

Já existe uma perspectiva de nações e equipes que devem participar?
Já temos inscrições de muitos países. Até agora atletas de 15 nações já se inscreveram no evento, Estados Unidos, Turquia, Brasil, países do Leste Europeu e de vários outros cantos da Europa. Além disso, grandes equipes já confirmaram presença e vêm em peso, como a Nova União, Gracie Barra, Alliance e BTT Europa, entre outras.

Como está a arte suave na Suíça em termos de competições, equipes e atletas?
O Jiu-Jitsu na Suíça aos poucos ocupa o seu espaço, graças ao bom trabalho dos professores que estão aqui, com organização e seriedade. Mas ainda temos um longo caminho a percorrer e espero que com esta nova federação isso se desenvolva muito mais, com mais eventos e boa organização, o que é o mais importante.

Comente sobre o seu trabalho aí com o Jiu-Jitsu.
Cheguei aqui em 2008 trazido pelo amigo Gilson Farias. Com uma proposta de fazer crescer o Jiu-Jitsu e a nossa academia, a Kimura Nova União, lutei dois Europeus em Lisboa (2008 e 2009) e ganhei os dois. Em menos de dois anos, criamos a nossa federação, estamos organizando o Europeu da CBJJE e a Kimura faz um bom trabalho, mostrando sua força na Suíça.
Fonte TATAME

segunda-feira, agosto 24, 2009

Europeu da CBJJE a todo vapor

Os preparativos para o 1º Campeonato Europeu da Confederação Brasileira de Jiu-Jitsu Esportivo (CBJJE) continuam a todo o vapor. O evento acontece na Suíça, nos dias 19 e 20 de setembro, e, segundo a organização, já é grande o número de participantes confirmados.

“Já contamos com aproximadamente 250 inscritos. Contaremos com atletas de todos os cantos da Europa, além de muitos brasileiros que vivem no continente. O legal é que na semana seguinte ao evento acontece o ADCC, na Espanha, e quem quiser prolongar um pouco mais a viagem estará bem próximo para assistir a esse outro grande evento”, comenta o presidente da CBJJE, Moisés Muradi.

A CBJJE indica pacotes de viajem com bons preços. Além disso, a entidade oferece 70 alojamentos para os atletas brasileiros. Para a Europa não é preciso visto, apenas passaporte. Para saber mais informações acesse www.cbjje.com.br.
Fonte TATAME

Copa Okinawa


Checkmat e a saída da guarda 50/50

A guarda 50/50, que foi matéria da nossa edição #162, vem sendo estudada a fio pelas equipes. Desenvolvida por Bruno Frazzato e pelos irmãos Rafael e Guilherme Mendes, a guarda gerou várias discussões ao longo deste ano. Defendida por alguns e criticadas por outros, aos poucos os atletas vão desvendando os segredos da fifty-fifty . Faixa-preta da Checkmat, Chico Mendes desenvolveu duas novas posições partindo da nova guarda. Na primeira delas, Chico defende a posição atacando uma chave de panturrilha, na outra, o faixa-preta ensina como tirar o joelho e se livrar da posição. “Devido a tal polêmica sobre a Guarda 50/50 nós, da Checkmat Rio, estamos dando nossa contribuição. Gostaríamos de deixar claro que não somos contra a essa guarda e sim contra aqueles que usam a posições para amarrar, visto que já temos várias posições, tanto de ataque quanto de saída delas”, explicou Chico. Confira abaixo os vídeos mandado por Chico Mendes com exclusividade para a TATAME.




Fonte TATAME

domingo, agosto 23, 2009

Open International de JJ promete agitar Goiás

Vai rolar nos dias 12 e 13 de setembro, na cidade de Anápolis, em Goiás, a quinta edição do Open Internacional de Jiu-Jitsu, que vai distribuir R$ 8000 para os campeões absolutos. Quem quiser garantir a sua vaga nas disputas pelo ouro – e pela graninha extra –, basta acessar o site oficial e se inscrever. Para maiores informações, entre em contato com a organização Dio evento pelos telefones (62) 3942-4601 e (62) 8499-0471.
Fonte TATAME

Mendes e Frazzato defendem a Guarda 50/50

Personagens da matéria sobre a Guarda fifty-fifty (50/50), publicada na edição deste mês na revista TATAME, Rafael Mendes, Guilherme Mendes e Bruno Frazzato saíram em defesa da posição, que vem causando uma grande polêmica no mundo da arte-suave. “Estudamos e aprimoramos variações dela, e estamos mais habituados àquela situação do que os outros atletas. A guarda é tão eficiente quanto os outros ataques de outras guardas que costumamos fazer”, garante Rafael.

A posição é muito criticada por deixar o executor em uma posição favorável e o adversário preso em uma situação de defesa, muitas vezes deixando a luta parada. “É uma posição que tem variações de movimentos para serem usados, cabe ao atleta utilizar os movimentos para progredir a luta. Acho que armar qualquer tipo de situação e ficar parado é amarração”, explica Frazzato. Já o campeão mundial entre os plumas, Guilherme Mendes, garante que a posição não é um retrocesso e sim uma evolução para o Jiu-Jitsu.

“Os adversários costumam reclamar, mas isso é normal. Ninguém perde e sai feliz da vida elogiando o outro. Uma coisa é usar a estratégia para anular o adversário e raspá-lo durante a luta, como fazemos, a outra é amarrar. Existem muitos jeitos de você interpretar uma amarração. Quem puxa para a meia-guarda e fica cozinhando o adversário não está amarrando? E quem puxa para a guarda aranha e segura as duas mangas e não ataca, mesmo com a guarda aberta?”, questionou Gui. A reportagem completa você pode conferir na edição 162 da TATAME, que está a venda nas bancas de todo o Brasil.

Fonte TATAME

Gurgel ensina a sair da 50/50

O comandante da Alliance Fábio Gurgel recebeu a reportagem do GRACIEMAG.com na sede da equipe em São Paulo para mostrar as duas saídas da nova e polêmica guarda 50/50. As movimentações foram criadas pelo faixa-roxa Ricardo Mesquita (que demonstra as posições com o mestre) e aperfeiçoadas pelo general. Confira os dois vídeos abaixo.

A primeira saída ataca a variação da 50/50 em que o lutador que está por baixo faz uma botinha no pé direito do adversário.



A segunda saída ataca a variação da 50/50 em que o lutador que está por baixo não faz a botinha no pé do adversário.


Fonte GracieMAG

Cobrinha em “treino violento” para o ADCC

Sem coração mole, Jacaré não gradua campeões mundiais da Alliance

Os médicos foram categóricos em vetar Romero Cavalcanti, o Jacaré, de retornar aos treinos de Jiu-Jitsu por pelo menos cinco meses, mas o líder da Alliance fez questão de vestir o kimono três dias atrás. As quatro pontes de safena só o deixaram mais forte.

Sentadinho, corrigindo os alunos de quando em quando, respeitando o corpo e as recomendações da medicina, Romero voltou esta semana a observar os treinos do time em Atlanta, na Geórgia. Em bate-papo com o GRACIEMAG.com, falou sobre as estrelas da companhia e diversos tópicos, entre eles os treinos para o ADCC, e, entre uma tirada e outra, filosofou sobre a vida terrena: “A vida é isso. Até sermos chamados lá para cima, o importante é ter saúde e cumprir com paixão nossa missão aqui na Terra”.

COBRINHA

Ele é um garoto de ouro, e na minha ausência por problemas médicos segurou todos os treinos fazendo um grande trabalho. Não deixou a peteca cair, segurou todos os treinos com e sem kimono e agora estou retornando, aos poucos, para supervisionar os treinos com kimono. Como estou aqui há 15 anos a coisa funciona bem na minha ausência. E o Cobrinha não deixou que essa carga a mais impedisse seus treinos para o ADCC. Ele está fazendo um treino violento aqui, e ficando pronto para arrebentar em Barcelona. Chamei Paul Creighton, um ex-aluno meu que hoje é faixa-preta do Renzo. 'E um wrestler sensacional e está afiando as quedas do Cobrinha.

ALLIANCE NO ADCC

Além do Cobrinha, estamos trabalhando para que o Chris Moriarty retorne ao evento, ele que venceu duas lutas na edição passada, em 2007. Ele também está muito bem e treinando muito. Mas o time vai forte, sem sombra de dúvida.

NOVAS FAIXAS

Nesse Mundial 2009 o time aqui da Geórgia contribuiu com quase 40 pontos para a conquista da Alliance, um recorde do pessoal. Sinal do bom trabalho, mas por enquanto não houve muitas mudanças de faixa – por exemplo, o Ian McPherson foi campeão mundial na marrom e terceiro no absoluto, mas por ser ainda novo, um garoto, vai ficar mais um pouquinho na faixa, que afinal ele ganhou faz pouco tempo. Do mesmo modo, o Alec Baulding que foi prata e fez uma bonita campanha na roxa também ainda não recebeu a marrom. Então houve algumas mudanças de faixa, mas só entre o pessoal menos graduado.

CORAÇÃO

Eu estava dando um treino mais forte aqui com o Cobrinha em julho quando comecei a me sentir um pouco mal. Acabei indo ao hopital onde recebi quatro pontes de safena. Mas agora está tudo indo bem, vou melhorando devagarzinho, cada dia pacientemente depois do outro. A vida é isso. Até sermos chamados finalmente lá para cima, o importante é ter saúde e cumprir com paixão nossa missão aqui na Terra.
Fonte GracieMAG

quinta-feira, agosto 20, 2009

3a. Etapa FJJPR - 30 de Agosto



Caros Professores e alunos.

A data da 3ª Etapa do Circuito Paranaense 2009 pela Federação de Jiu-Jitsu do Paraná será dia 30 de Agosto – DOMINGO.

O Campeonato será realizado no Ginásio de Esportes do SEST e encerrará o Circuito das três Etapas, apontando as Agremiações e os atletas Campeões Paranaenses em 2009.

IMPORTANTE – A exemplo da CBJJ e para o bom andamento da Competição, TODOS OS COMPETIDORES deverão se identificar com suas carteirinhas da FJJPR no momento da pesagem e nas áreas de luta. SERÁ EXPRESSAMENTE PROIBIDA A ENTRADA DE COMPETIDORES SEM IDENTIFICAÇÃO, NESTAS ÁREAS. Para os atletas de outros estados, serão aceitas as carteirinhas das suas Federações.

A apresentação das carteirinhas é pré-requisito para a identificação do atleta, que no ato da sua inscrição, assume esta obrigatoriedade, eximindo a Comissão Organizadora do Evento de qualquer ressarcimento referente à taxa de inscrição.

Pedimos a compreensão de todos e convocamos os Professores para que agilizem o quanto antes as afiliações dos seus atletas para que não ocorram transtornos indesejáveis de última hora. Vamos juntos trabalhar para o engrandecimento do nosso Esporte.

Abraço a todos.

Evanri Gurgel
Presidente da Federação de Jiu-Jitsu do Paraná.
(41) 3263-4277
(41) 9193-8989

Peinado no gás para as competições

Alliance com força total para o Brasileiro de Equipes

Mal começou a conversa com a reportagem e o sempre boa praça Antonio Peinado “Batista”, faixa-preta da Alliance, já saiu falando sem nem ser perguntado: “Já sarei a minha costela, que havia machucado uma semana antes do Mundial, e o joelho também. Estava batendo na trave nas competições, vindo com essas lesões, mas agora venho com força total nesse segundo semestre e espero fechar o ano com chave de ouro. Estou pronto agora para este Sudeste-Brasileiro. Vamos entrar eu, o Bernardo Augusto, o Bruno Malfacine e mais uma galera forte nas outras faixas”, disse o atleta, sobre o evento que acontece nos dias 29 e 30 de agosto, em São Paulo.

Entretanto, o lutador também contou que a Alliance terá outro foco no seguimento.

“No Brasileiro de Equipes vamos entrar com força total. Teremos o Leo Nogueira, Gabriel Vella, eu, o Bernardo, o Tarsis... Vai a tropa de elite em peso. Também faremos uma equipe só com os faixas-marrons, uma galera muito dura como o Gustavo Junqueira, entre muitos outros.”

E Peinado não pára por aí. Além das competições de kimono, dará as caras nos eventos sem pano.

“Vamos lutar tudo. Vou estar também no Mundial No-Gi e tudo o que tiver pela frente. O foco aqui na academia é esse, o Fabio (Gurgel) manda a gente lutar tudo e não dá para escolher campeonato”, finalizou.
Fonte GracieMAG

50/50: a solução de Renato Tavares

Professor da ATT Vero Beach mostra como escapar da polêmica guarda

Assunto de uma reportagem especial da GRACIEMAG # 150, a guarda 50/50 começa a ser desvendada pelas feras do Jiu-Jitsu. De olho na polêmica, Renato Tavares, professor da American Top Team Vero Beach, não perdeu tempo e mandou uma mensagem ao GRACIEMAG.com.

"Fiz um vídeo da posição 50/50. Não posso perder a oportunidade de mostrar primeiro. A idéia da posição é sair do nó que ela se tornou, acabar com o que parece uma amarração. Todo mundo está falando, mas ninguém mostra uma solução. Eu já fiz meu DVD com 14 movimentações por cima e por baixo há três semanas, e daqui a mais três ele estará no mercado", avisa Renato.

Sem saber que o faixa-preta já tinha uma solução para o enigma, Fabio Gurgel e a turma da Alliance também preparam o antídoto e mostraram para o GRACIEMAG.com. O resultado será publicado no fim de semana.


Fonte GracieMAG

quarta-feira, agosto 19, 2009

Alliance desvenda a 50/50

Solução veio do habilidoso faixa-roxa Ricardo Mesquita

“Laboratório da Alliance desvenda a guarda 50/50, antídoto demorou mas chegou...", foi o que escreveu no seu twitter o líder da equipe paulista Fábio Gurgel, ontem, dia 17 de agosto, segunda-feira.

GRACIEMAG traz este mês um produtivo debate sobre a 50-50 em sua edição #150, que já está nas bancas. Enquanto uns são a favor da posição, há gente estudando uma saída inteligente ao que muitos estão chamando de amarração.

Depois que Rodrigo Comprido defendeu seu ponto de vista ao afirmar que o lutador de Jiu-Jitsu deveria ser capaz de passar qualquer guarda e se virar em qualquer situação no chão (o atleta é contra o banimento da posição), Gurgel informa que o antídoto para a posição veio através de um de seus melhores faixas-roxas, Ricardo Mesquita. O mestre, porém, diz que em breve apresentará a solução para o xis da questão.

“As posições surgem a cada dia naturalmente dentro das escolas ao redor do mundo. Não só aqui, mas essa posição [50/50] vem tendo uma atenção especial, pois se ela estava atrapalhando até o Cobrinha, então não pode ser negligenciada”, afirmou Gurgel ao GRACIEMAG.com.

“Eu vou sim divulgar a saída em beneficio do Jiu-Jitsu, vou colocar em breve no Youtube. Daqui a um tempo vão inventar outra, e alguém vai solucionar. Com isso o esporte segue seu curso. Para frente”, finalizou o líder da Alliance.

E você, já tem sua opinião formada sobre a 50/50? Sabe o que pensam Roger Gracie, Márcio Feitosa, Gabriel Vella entre muitos outros? As respostas estão na GRACIEMAG deste mês.
Fonte GracieMAG

Augusto Tanquinho: de mansinho até o topo

Faixa-preta de Jiu-Jitsu há cinco anos, Augusto Tanquinho tem crescido entre os leves. Após abocanhar o título no Rio Open, o casca-grossa da Soul Fighters vai com tudo em busca de mais ouros na categoria, mas sabe que não será fácil. Nos últimos meses, os principais nomes da categoria tem trocado farpas sobre quem seria o número um do peso.

Depois de Celsinho Venícius e Michael Langhi darem as suas opiniões (relembre aqui), Tanquinho preferiu ficar de fora da polêmica. “Eu não sei (quem é o número um)... Deixa eles se matarem lá, cara... Eles têm que lutar para saber. É bom que eles esqueçam de mim e, quando derem mole, estou no meio da galera”, afirmou Tanquinho, prometendo chegar de mansinho. “Se der mole, eu apareço e pego os três”, finalizou.
Fonte TATAME

Tarsis Humphreys

Campeão peso e absoluto do primeiro Mundial Profissional de Jiu-Jitsu, que aconteceu este ano em Abu Dhabi, Tarsis Humphreys quer fazer bonito novamente, mas desta vez sem quimono. Terceiro colocado no ADCC 2007, o casca-grossa vai com tudo em busca da redenção este ano em Barcelona. “Até onde eu vi, só tem pedreira. Se o Demian lutar, ele pode ser tido como o mais forte da categoria, pois já conseguiu um vice e foi o campeão da edição passada”, comentou Tarsis, que foi eliminado pelo próprio Demian na edição passada. “Peguei um terceiro lugar, perdendo para o Demian por uma queda, que, na minha opinião, não foi”, relembra, comentando a polêmica na entrevista abaixo, onde o faixa-preta ainda fala sobre os treinos para o evento e a busca pelo absoluto, no que considera o melhor momento de sua carreira.

Qual a sua expectativa para o ADCC?
As melhores, sempre. Na minha opinião, esse é o maior campeonato de Grappling do mundo, onde estarão os melhores grapplers do mundo. É muito bom competir contra os melhores do mundo.

Como estão os treinos para o evento?
Estou me preparando da mesma forma que me preparei para o Abu Dabhi Pro, então já tenho certeza de que estou fazendo o treino correto para estar em condições de ser o campeão.

O que espera da sua categoria? Quem serão os grandes adversários?
Até onde eu vi, só tem pedreira, mas não posso apontar um lutador como um grande adversário. Todos que estão lá são grandes adversários. Se o Demian lutar, ele pode ser tido como o mais forte da categoria, pois já conseguiu um vice e foi o campeão da edição passada.

Quer buscar também o absoluto? Como fazer para vencer um absoluto deste nível?
Quero, sim. Sempre gostei de lutar no absoluto e enfrentar oponentes mais pesados. Eu acho que não tem segredo para vencer um absoluto, basta estar treinado e não errar. Se isso acontecer, a chance de ser o campeão aumenta muito.

Como foi a contusão na edição de 2007 do ADCC?
Na verdade, eu me machuquei na seletiva no Brasil, porém, no campeonato, eu estava zero, sem nenhuma contusão, mas acho que o que não estava legal era o meu treino, a minha capacidade física, o meu psicológico, mas, mesmo assim, peguei um terceiro lugar, perdendo para o Demian por uma queda, que, na minha opinião, não foi. Eu virei de barriga para baixo e ele não estabilizou a posição por três segundos. Até gostaria que o pessoal da organização visse esse lance da luta para me explicar o que aconteceu, pois, pelo que diz a regra, não é ponto, mas no dia eles deram o ponto. Quero saber o que houve para eu não repetir o mesmo "erro" que me tirou da final.

Você se sente mais maduro hoje para disputar um evento como o ADCC?
Com certeza... Tudo muda, a experiência e a maturidade na luta faz toda a diferença.

Você acredita que está vivendo o melhor momento da sua carreira?
Sim. Estou com o melhor treino, a melhor preparação física e muita experiência na bagagem... Conquistei os títulos que eu queria, tive alguns imprevistos durante as minhas metas, mas acontece, tudo é sempre tido como uma lição.

Fonte TATAME

segunda-feira, agosto 17, 2009

Tererê: família divulga conta para tratamento do astro

Pedido de ajuda comoveu professores e internautas
Dono de carisma e técnica, o lutador carioca Fernando Augusto da Silva, o Tererê, viveu anos de glória no Jiu-Jitsu, sempre na mira dos holofotes e à frente das câmeras. Na última quarta-feira, porém, enquanto Paula Sack e a equipe do canal Combate conversavam os familiares sobre o vício que interrompeu a carreira do astro, Fernando chegou por trás das câmeras, prontamente barrado por amigos e parentes.

“Não fizeram contrato pra filmar? Não rola nem um sushi?”, soltou Tererê, antes de ir embora. Sinal de que mesmo passando por momentos difíceis ele não perde a graça.

A pedido da família do querido lutador do Morro do Cantagalo, o GRACIEMAG.com divulgou no fim de julho um grito de socorro para que a comunidade do Jiu-Jitsu se unisse mais uma vez em torno do craque.

“Fizemos as contas, e de início a família dele precisa de 25 mil reais para custear quatro meses de tratamento”, explica o parceiro Elan Santiago, da Alliance. “O dinheiro também será usado na readaptação dele em algum lugar longe do morro, talvez em São Paulo”.

Entre as saídas para ajudar Tererê, amigos já se mobilizam para uma série de seminários por todo o planeta – vários campeões mundiais já se prontificaram. Por enquanto, quem quiser ajudar imediatamente pode contribuir através da conta aberta pelo pai de Fernando (“Prometemos divulgar a quantas andam as doações o tempo todo no site do GRACIEMAG.com”, planeja Elan):

Banco do Brasil

Agência: 0525-8

Conta Poupança: 24611-5

Carlos Augusto da Silva (o Tio Barriga)

CPF: 495662967-20


Dezenas de internautas também se sensibilizaram e enviaram seus recados para o GRACIEMAG.com:

“Amigos, tenho bons contato aqui em São Paulo e consigo arrumar uma casa de recuperação totalmente gratuita para a reabilitação do Tererê. Tenho contato com o professor Marcos Barbosa e tive o prazer de conhecer o próprio Tererê tempos atrás. Por favor quero maiores informações sobre seu caso, se for preciso me disponho a ir ao Rio de Janeiro buscá-lo.” - Jackson Cabral

“Gostaria de oferecer ajuda tanto como membro da comunidade do Jiu-Jitsu como da dos recuperados de problemas com drogas. Por favor entrem em contato quando quiserem. Este é um problema que tem solução para Tererê e sua família, eu garanto que há pessoas por aí que podem ajudá-lo nesse período de necessidade. Obrigado!” - Joe Cunningham

“Treino com Pedro Bessa, que já foi da TT, na Inglaterra. Falamos noite passada sobre como ajudar Tererê e sua família. Vamos organizar um campeonato no dia 6 de setembro (Bristol Open BJJ http://www.bristolopenbjj.org/). No evento vamos levanter tanto dinheiro quanto pudermos e mandar para ele.” - Neil Williams (Pedro Bessa BJJ)

“Tenho dois irmãos que tiveram o mesmo problema e conseguimos ajudá-los. Internamos eles em 2003 na clínica CREDQ em Balneário Camboriú, Santa Catarina, e graças a Deus, hoje ambos estão tocando suas vidas. Conheço pessoalmente os coordenadores desta clínica e atesto a seriedade deles.” - Augusto Oliveira

“O que posso oferecer é que venha para Cingapura fazer um intensivo de treino por aqui, afinal uma coisa posso garantir: drogas ele não vai usar, pois não existem! O que existe é pena de morte para quem as trafica! As portas estão abertas!!! Ia ser um prazer, basta ele querer. Forte abraço” - Rafael “Gordinho” Correa (Gordo Evolve)
Fonte GracieMAG

sexta-feira, agosto 14, 2009

Alliance vence mais uma etapa no Paulista

Nossa equipe venceu com sobras mais uma etapa do Paulista, mesmo só entrando com um atleta na faixa preta, o recém graduado Sergio Santos, que ficou em Segundo no meio pesado, nosso time liderou o campeonato com ampla vantagem, com destaques para Flavio Junqueira que venceu o absoluto na azul, Thomaz e Ribamar que repetiram a dose do Open no Rio e fecharam o pluma roxa, feito repetido por Mesquita e Lucas no meio pesado e por Jeitoso e Mesquita no Absoluto, Jeitoso ainda venceu no peso, na Marrom Helinho no pluma, Cabelinho no pena e Guile e Diogo fecharam o meio pesado, com isso nosso equipe disparou do segundo colocado...

Parabéns a todos

Fonte Site do General Fabio Gurgel

Abi Rihan e o legado de Carlson Gracie

Lutador busca aplicar as influências ensinadas pelo Gracie: o JJ agressivo e finalizador

Equilíbrio, foi a palavra usada por Raphael Abi-Rihan para definir seu atual momento no Jiu-Jitsu competitivo. Feliz com os dois recentes títulos conquistados este ano na categoria meio-pesado (Campeonato Brasileiro e Rio Open) o faixa-preta vem se destacando não só por vencer atletas mais jovens, mas pelo modo como vem se apresentando nos campeonatos. Empurrado pela numerosa torcida - que ele chama de “família Abi-Rihan Jiu-Jitsu" - o lutador reconhece que a figura do inesquecível Carlson Gracie cumpre papel fundamental em suas vitórias.

“As principais raízes da Carlson Gracie tem um jogo muito agressivo, os caras que representaram a academia durante muito tempo, como Paulão Filho, Amaury Bitetti, Zé Mario Sperry, Murilo Bustamante, Wallid Ismail, Manimal. Essas pessoas conquistaram as coisas no mundo da luta com um jogo agressivo e finalizador, um Jiu-Jitsu para frente”, disse Abi-Rihan ao GRACIEMAG.com
“Acho que não só eu, mas todo mundo da Carlson Gracie carrega consigo tudo isso. A vitória a qualquer custo. Aquela coisa bem casca-grossa mesmo. Eu gosto deste estilo. Foi assim que eu cresci, escutando e vivendo isso dentro da academia. Isso é uma coisa que eu vou levar por característica própria. Além disso, vou passar para meus alunos que quiserem ser competidores. Não é o foco da minha academia, mas percebe-se que os competidores vão ter um jogo e uma forma de lutar parecida com a minha”, afirmou Raphael Abi-Rihan.

Antes da chave de pé aplicada em Victor Estima, Raphael finalizou outros dois oponentes na categoria meio pesado do Rio Open
Fonte GracieMAG

V OPEN INTERNACIONAL DE JIU-JITSU 2009

quarta-feira, agosto 12, 2009

A polêmica guarda 50/50

Romero Jacaré critica a posição

Romero Jacaré tem muito a falar sobre a evolução do Jiu-Jitsu. O líder da Alliance mandou um email ao GRACIEMAG.com com a opinião sobre o tópico mais quente relativo à arte suave nos últimos tempos: a polêmica guarda 50/50.

Jacaré quis deixar claro o porquê de não ter gostado do que viu durante o Mundial 2009.

"Em primeiro lugar é uma guarda que trava totalmente a luta, o lutador que está por cima não consegue se mexer, o de baixo fica parado, segurando. Jiu-Jitsu é ação, é intenção de atacar sempre em busca de melhorar o posicionamento, em busca da finalização. O que definitivamente não acontece com essa posição", escreve o professor.

"É só olhar os últimos campeonatos e ver que até o público se manifesta vaiando, pois a luta fica parada por um tempão. Imagino o que o Helio Gracie diria vendo isso acontecer", continua.

"Na Alliance somos e seremos sempre a favor da luta pra frente. Outra coisa que me impressiona é ver professores de Jiu-Jitsu falando besteira e defendendo, em vez de se preocupar em ensinar Jiu-Jitsu pra frente. É triste. Pra finalizar, não sou contra a evolução, mas contra a amarração, a luta parada. Jiu-Jitsu é para frente, é simples", completa.
Fonte GracieMAG

terça-feira, agosto 11, 2009

Arona fora do ADCC 2009

Organização já pensa em substituto

Apesar da enorme vontade de participar, expressada em primeira mão em entrevista ao GRACIEMAG.com, Ricardo Arona não vai lutar o ADCC 2009. A informação foi confirmada por Wagner Gomes, secretário-executivo do ADCC Brazil.

Segundo o dirigente, o motivo que impede a presença de Arona no torneio de submission que será realizado nos dias 26 e 27 de setembro, em Barcelona, é a participação dele no Bitetti Combat, duas semanas antes, em 12 de setembro, quando vai enfrentar o americano Marvin Eastman.

Para o lugar de Arona o Comitê Organizador do ADCC já tem alguns nomes listados, e a definição deve sair em breve.
Fonte GracieMAG

Ricardo Arona fora do ADCC 2009

Invicto no ADCC, Ricardo Arona estava confirmado para fazer seu retorno ao torneio de Submission neste ano, mas o ex-lutador do Pride ficará de fora do evento. De acordo com Wagner Gomes, secretário geral do ADCC no Brasil, o lutador não lutará o ADCC devido ao seu compromisso no Bitetti Combat, agendado para o dia 12 de setembro no Rio de Janeiro. Segundo Wagner, ele apresentou ao Comitê Internacional outros nomes que poderiam entrar no evento, o que está sendo avaliado.
Fonte TATAME

domingo, agosto 09, 2009

Frazatto finaliza quatro e diz que não quer mais ganhar por pontos

Faixa-preta foi campeão entre os leves no Circuito Aberto Paulista

Bruno Frazatto ouviu os conselhos dos companheiros Ramon Lemos e André Galvão e entrou para frente na 2ª Etapa do Circuito Paulista de Jiu-Jitsu, realizada hoje, sábado, no Tênis Clube Paulista, em São Paulo. Frazatto lutou quatro vezes e finalizou todos seus adversários, com três finalizações nas costas e um estrangulamento, tornando-se o campeão entre os leves.

“Estou treinando agora para lutar um pouco mais para a frente, tentando finalizar todas as lutas. Esse é meu foco agora, ganhar todas por finalização, não quero ganhar mais por ponto, não”, afirmou Frazatto ao GRACIEMAG.com

O faixa-preta tem como principal meta em seu cronograma o Mundial 2010, mas até lá garante que vai competir bastante. Depois do Circuito Paulista, o atleta confirmou sua participação no Campeonato Sudeste Brasileiro de Jiu-Jitsu, que será realizado no Ginásio Municipal do Pacaembu nos dias 29 e 30 de agosto e que já está com as inscrições abertas. Para se inscrever, clique aqui.

No trabalho de planejamento com seu prepardor físico, sua intenção é aumentar a carga. “Levo minha carreira bem a sério. Estou com um preparador físico, o Leonardo Neto e é ele quem está me fazendo entrar na rotina de competição para chegar melhor ano que vem. Essa preparação tem sido muito importante para mim. Ano passado, meu preparador físico achou que competi pouco e agora estamos com foco de lutar todas as competições até chegar ao Mundial, para ser campeão”, finalizou Frazatto.
Fonte GracieMAG

sexta-feira, agosto 07, 2009

Romero Jacaré e a guarda 50-50

Na edição deste mês da revista TATAME, trouxemos a tona a discussão sobre a polêmica guarda 50-50 (fifty-fifty), quem vem sendo muito utilizada pelos irmãos Rafael e Guilherme Mendes e por Bruno Frazzato. Ouvimos os atletas, seus adversários, os professores que estão estudando a técnica e o diretor de arbitragem da CBJJ para analisar um pouco melhor e apresentá-la aos leitores. Líder e fundador da Alliance, Romero Jacaré mandou um e-mail com exclusividade para a TATAME, fazendo questão de comentar sobre a guarda.

“Em primeiro lugar é uma guarda que trava totalmente a luta. O lutador que está por cima não consegue se mexer, o de baixo fica parado segurando. Jiu-Jitsu é ação e intenção de atacar, sempre em busca de melhorar o posicionamento em busca da finalização, o que definitivamente não acontece com essa posição. É só olhar os ultimos campeonatos e ver que até o público se manifesta vaiando, pois a luta fica parada por um tempão”, disse o faixa-preta de Rolls Gracie, que criticou também a arbitragem. “O que é impressionante é que a Confederação nao faz nada e permite essa amarração. Imagino o que o Hélio Gracie diria vendo isso acontecer”.

Apesar da crítica, Jacaré não se opõe a novidades na arte-suave, mas sim a posições que travem o combate. “Na Alliance somos e seremos sempre a favor da luta pra frente, em busca da finalização. Outra coisa que me impressiona é ver professores de Jiu-Jitsu falando besteira (deixar raspar não é bom) e defendendo a posição, ao invés de se preocupar em ensinar um Jiu-Jitsu pra frente. É triste. Não sou contra a evolução, mas contra a amarração, a luta parada. Jiu-Jitsu é dinâmico e para frente”, finalizou.
Fonte TATAME

Circuito Liva de JJ chega à última etapa

Vai rolar neste domingo, na cidade de Pindamonhangaba, em São Paulo, a terceira e última etapa do Circuito Liva de Jiu-Jitsu. Além de troféus a todas as equipes participantes, medalhas personalizadas aos atletas e um troféu à equipe campeã geral do circuito, a LIVAJJ vai inovar nesse evento, com premiação em dinheiro nas categorias do absoluto e distribuição de brindes através de sorteio aos atletas participantes. Para maiores informações, acesse www.livajj.com.br.
Fonte TATAME

Gurgel e a “involução” do Jiu-Jitsu no MMA

Líder da equipe Alliance no Brasil, Fábio Gurgel fez parte dos primórdios do MMA, tendo representado a arte suave nos ringues do Brasil e Estados Unidos e conquistando três vitórias. Doze anos depois de lutar MMA pela última vez, Gurgel conversou com a TATAME sobre os representantes da arte suave na modalidade. A dois dias da sexta luta de Demian Maia no UFC, Gurgel elogia o faixa-preta, que finalizou as cinco lutas anteriores no octagon e está cotado para disputar o cinturão da categoria.

“O Demian ainda consegue focar o Jiu-Jitsu o tempo inteiro. Ele dá uma ou duas porradas, mas o foco dele é a luta agarrada e ele pega. Eu acho o jogo de chão do Demian sensacional. Se ele conseguir manter essa qualidade de chão e não negligenciar isso, ele tem condição de ter um sucesso mais duradouro”, comentou Gurgel, vendo que o seu jogo eficiente pode forçar uma mudança na sua estratégia nos próximos combates, uma vez que os adversários já sabem da sua eficiência e evitariam este tipo de luta, forçando Demian a adotar outras estratégias.

“Pode ser que daqui a algum tempo as pessoas que vão lutar com ele vão começar a se preocupar com isso, aí vão começar a ter novas armas para que ele consiga surpreender o cara. A atenção que ele vai dar a essa arma pode fazer com que o chão dele involua, porque ele pode parar de dar o foco no chão para treinar outra coisa”, comentou Fábio, analisando o nível geral do Jiu-Jitsu nas competições de MMA. “Analisando de uma maneira respeitosa com os atletas, o Jiu-Jitsu praticado no MMA é de faixa-azul... Tecnicamente as pessoas erram muito, perdem posições absurdas que não poderiam perder. A questão não é o nível de chão, tudo é muito ruim”, disse.

Subindo para os pesos pesados, o general da Alliance comenta o jogo de Minotauro, que começou no MMA especialista no Jiu-Jitsu, mas, segundo Gurgel, teve que aprender outras armas com o passar dos anos. “O chão do Minotauro era muito melhor. Esquece tudo o que ele fez, veja só o jogo de chão dele de antes e o de hoje. Ele fazia sparring, mas o foco dele era o chão. Agora, ele é muito melhor no boxe? É, mas quantos caras existem melhores que ele no boxe?”, questiona o faixa-preta, reconhecendo a necessidade dessa mudança. “Ele teve que fazer isso porque as pessoas começaram a matar o jogo dele no chão. Mas ele não teve opção, ele teve que fazer isso para ter outras armas e aí ele começou a pecar no chão”, finalizou.

Para conferir um bate-papo exclusivo com Fábio Gurgel, comentando o ressurgimento da equipe como potência, se tornando tetracampeã mundial, a expectativa para o futuro do time, a “nova fase” da arte suave, com cada vez menos finalizações nas finais dos campeonatos, o diferencial da Alliance e muito mais, corra até a banca mais próxima e garanta a edição #162 da Revista TATAME.
Fonte TATAME

quinta-feira, agosto 06, 2009

No Limite de Jiu-Jitsu é adiado em Sampa

O campeonato de Jiu-Jitsu No Limite Orgaf, que ia acontecer no dia 2 de agosto em Ponte Pequena, São Paulo, foi adiado para dia 16 do mesmo mês, e vai ser realizado no mesmo local, no Clube de Regatas Tietê. Para entrar em contato com a organização e obter maiores informações, ligue para (11) 8077-6650, 2087-1154 ou 7412-5828, ou acesse o site www.orgaf.com.
Fonte TATAME

Sudeste Brasileiro inscreve

Campeonato rola no fim do mês, em São Paulo

Vem aí mais uma oportunidade para quem gosta de uma boa competição de Jiu-Jitsu. Estão abertas as inscrições para o Campeonato Sudeste Brasileiro, cuja edição 2009 será realizada nos dias 29 e 30 de agosto, no ginásio do Pacaembu, em São Paulo.

Assim como acontece nas competições organizadas pela Confederação Brasileira de Jiu-Jitsu, as inscrições podem ser feitas pela internet até o dia 20 de agosto.

Este é ainda o prazo para o recebimento das inscrições via correio. Com isso, aqueles que planejam participar do evento devem observar o tempo de envio para que a documentação chegue em tempo hábil à sede da CBJJ no Rio de Janeiro.
Fonte GracieMAG

Brasileiro de Equipes inscreve

Torneio será no dia 12 de setembro
Tradicional competição no segundo semestre do calendário do Jiu-Jitsu, o Brasileiro de Equipes 2009 já está com as inscrições abertas. A edição deste ano foi antecipada e será realizada no dia 12 de setembro, no ginásio do Tijuca Tênis Clube, no Rio de Janeiro.

As academias que quiserem participar devem enviar os quadros preenchidos corretamente (uma cópia para cada faixa/idade/sexo) à Confederação Brasileira de Jiu-Jitsu (CBJJ). Além disso, é preciso estar com a taxa de agremiação, cujo valor é de R$ 50.

O valor de inscrição para cada atleta é de R$ 65 mais um quilo de alimento não perecível.

As inscrições on line podem ser feitas até o dia 3 de setembro.
Fonte GracieMAG

quarta-feira, agosto 05, 2009

Gringos fazem a festa no Open

Alunos de Cláudio França se destacam
Quem esteve presente no ginásio do Tijuca Tênis Clube entre os dias 23 e 26 de julho, no Rio Open e Internacional de Master e Senior, além de rever antigos amigos, pôde assistir a como estão se saindo os estrangeiros amantes do Jiu-Jitsu. O GRACIEMAG.com esteve atento aos atletas estrangeiros ao longo dos quatro dias de competição.

O faixa-preta Cláudio França, que desde 1994 mora em Santa Cruz, Califórnia, trouxe 13 competidores e esteve presente no campeonato de olho em seus pupilos. O carioca está nos Estados Unidos há 14 anos e é o responsável pela realização do US Open. No Brasil, França ficou conhecido pela realização do histórico Atlântico Sul.

Alunos como o vice-campeão mundial de 2001 Garth Taylor, que na final do pesadíssimo contra Márcio Corleta foi elogiado pelo brasileiro, que o classificou como “um duro faixa-preta”, numa antiga entrevista. No Internacional de Master e Senior, Garth foi campeão competindo pelo sênior 1, pesadíssimo.

O americano venceu Flávio Riscado, Frank Franco e Danilo Rodacki. Feliz, Garth ia posando para foto ao lado de seu mestre, quando outro aluno faixa-preta de Cláudio França interpelou o repórter do GRACIEMAG.com: “Pergunte ao Garth qual é a cor predileta dele”, disse rindo Daniel Thomas. “Yellow, gold”, respondeu Garth, pronto para o registro.


Daniel Thomas, que competiu no sênior 4, esconde o jogo sobre as medalhas ganhas. Durante toda entrevista, o tímido veterinário não comentou seus feitos naquele dia uma vez sequer. Talvez por modéstia. Quando perguntado sobre qual é seu envolvimento com o Jiu-Jitsu e o que achou de competir no Rio, o lutador americano respondeu em tom humorado. “Por favor, me faça perguntas para eu responder com sim ou não. É porque eu sou tímido”, risos.

Daniel levou pra casa duas medalhas de ouro, a do meio-pesado e o absoluto. Ele venceu duas lutas por pontos e uma por finalização (estrangulamento da montada). Pela segunda vez no Rio, Daniel contou que esta foi a viagem que ele mais se divertiu. “A primeira vez foi mais difícil porque não sabia o que esperar. Mas na segunda me senti melhor, pois o Cláudio França estava aqui e eu pude praticar um pouco mais o meu português com meu pequeno livro”, disse, apontando para o bolso.

O filipino Vince Vanderlipe, também aluno de França, começou a treinar Jiu-Jitsu em 1992 e conheceu o professor em 1996, quando era faixa-azul. Hoje, Vanderlipe é professor faixa-preta da Kugtar BJJ, em Salinas, Califórnia. Competindo no Rio desde 2005, Vanderlipe quando vem à cidade procura treinar na Gordo-Evolve. “Eu já treinei com Braga Neto. É uma experiência muito boa. Lá é como se tivéssemos 10 faixas-pretas numa só sala”. Vanderlipe, que competiu no sênior 2, categoria leve, perdeu a final para Admilson Brites, o Juquinha, da Gracie Humaitá.
Fonte GracieMag

Comprido defende a polêmica guarda 50-50

A guarda 50-50, que se tornou famosa este ano com os faixas-pretas Rafael Mendes, Bruno Frazzato e Guilherme Mendes, continua dando o que falar. Mas como toda polêmica surge de opiniões diferentes, há quem defenda a guarda 50-50. Bicampeão mundial absoluto de Jiu-Jitsu e treinador de Brock Lesnar, Rodrigo Comprido acredita que as pessoas têm que parar de reclamar e aprender a passar a guarda.

“São garotos que estão indo para cima e desenvolvendo posições novas, e eu acho engraçado que nego não sabe defender a posição e acha que é ruim ou querem banir... Tudo foi assim, cara... Eu lembro da guarda aranha há dez anos, não sabiam defender e ficavam falando que era amarração, e hoje é uma ferramenta fortíssima de guarda. Primeiro eles têm que aprender a passar a guarda que os Mendes fazem, o que vai ajudar no desenvolvimento de novas posições... Você não é bom? Então deixa o cara raspar”, comentou Comprido.

Para Fábio Gurgel, líder da Alliance, a eficiência da posição é contestável. “Eficiência nesse caso é muito relativa. Para quê? Ela pode ser eficiente para evitar que seu adversário passe a guarda ou para segurar um resultado, mas pode não ser tão eficiente se você estiver perdendo a luta”, comentou o faixa-preta. Para entender mais sobre a polêmica guarda 50-50, a opinião dos principais personagens desta polêmica e um exclusivo treino-aberto, corra até a banca mais próxima e garanta a edição 162 da Revista TATAME.

Fonte TATAME

terça-feira, agosto 04, 2009

Langhi responde Celsinho: ”Eu ganhei tudo”

Tricampeão mundial no peso leve, Celsinho Venícius ficou de fora da disputa do Mundial 2009 devido a uma lesão no joelho. No estaleiro, o faixa-preta acompanhou o título de Michael Langhi na Califórnia, mas, em entrevista à TATAME TV (relembre aqui), reiterou que ainda o considera o terceiro melhor do peso, atrás dele mesmo e de Lucas Lepri.

Procurado pela TATAME, Langhi não pensou duas vezes e respondeu as declarações do tricampeão. “Não existe melhor, existe o cara mais bem treinado. O cara mais treinado é o cara que está competindo e ganhando tudo... Esse ano, eu ganhei tudo o que competi, os principais campeonatos do calendário, uma coisa que nenhum atleta da faixa preta fez ainda”, disse, relembrando as vitórias no Europeu, Pan-Americano, Brasileiro e Mundial neste ano.

“Eu não me apego a esse comentário, falando que eu sou o terceiro... Se eu sou o terceiro da categoria e já ganhei tudo isso, quando eu for o primeiro eu vou ganhar peso e absoluto (risos)”, brinca, vendo uma vantagem em ser o “terceiro”. “O terceiro ainda tem aonde ir, para segundo, primeiro... O primeiro não tem para onde ir, só pode regredir”, disse, pondo fim à polêmica. “Deixa ele falar... Quando a gente se encontrar vai ser a melhor forma de saber quem é melhor e quem não é”, finalizou o faixa-preta.
Fonte TATAME

segunda-feira, agosto 03, 2009

Tanquinho e a disputa pessoal com Frazzato

Augusto Mendes “Tanquinho faturou a categoria leve no Rio Open. Diante de Bruno Frazzato na final do peso leve, Tanquinho levou o ouro na decisão dos juízes para a equipe Soul Fighters e, de quebra, empatou o duelo pessoal com Frazatto, para quem já tinha perdido duas vezes em três oportunidades.

"Já é a quarta vez que eu e o Frazatto nos enfrentamos, então um já sabe mais ou menos o jogo do outro. Ele estava com duas vitórias em cima de mim e uma derrota, e eu empatei agora no Rio Open... Graças a Deus está 2 a 2”, brincou o lutador, elogiando o jogo de Bruninho, que subiu de categoria. ”É sempre duro enfrentar ele, um cara top que está sempre indo bem, e subiu para o leve para atrapalhar um pouco a gente”, finalizou o campeão.
Fonte TATAME