Pesquisa personalizada

sexta-feira, julho 31, 2009

European Championship de JJ na Suíça


Acontece nos dias 19 e 20 de setembro a primeira edição do European Championship de Jiu-Jitsu, evento organizado pela FHJJE, com chancela da CBJJE. As disputas serão em Morges, na Suíça. As inscrições vão até o dia 10 de setembro, mas até do dia 20 de agosto terão um preço mais baixo (60 euros). O contato pode ser feito pelo e-mail robson@kimura-jjb.ch. “O evento está sendo amplamente divulgado na Europa e esperamos que o pessoal aqui do Brasil também compareça”, diz o presidente da CBJJE, Moises Muradi. Para maiores informações, acesse www.fhjjs.ch ou http://www.cbjje.com.br/.
Fonte TATAME

quinta-feira, julho 30, 2009

ADCC convoca St. Pierre

Canadense foi finalizado em 2005

O campeão está convocado. Bicho papão entre os meio-médios do UFC, o canadense Georges St. Pierre foi oficialmente convocado pelo ADCC para disputar a edição 2009, marcada para 26 e 27 de setembro, em Barcelona, na Espanha.

Caso aceite, esta não será a primeira vez que o canadense tentará o título no tradicional torneio de submission. Em 2005, quando ainda buscava espaço entre as feras do octagon, St. Pierre se aventurou em Long Beach, e acabou sofrendo nas mãos do brasileiro Leo Santos.

A finalização na chave de braço é um dos momentos memoráveis da história do ADCC, e o vídeo, disponibizado no Youtube, um verdadeiro sucesso de audiência, com mais de 300 mil visualizações.

Em 2009, St. Pierre, que hoje em dia é faixa-preta de Jiu-Jitsu, terá pela frente nomes como Marcelinho Garcia, Pablo Popovitch, Kron Gracie, entre outros.
Fonte GracieMAG

Rodolfo feliz com desempenho no Rio Open

Graduado há menos de dois meses a faixa-preta, Rodolfo Vieira tem atuado como veterano nas competições, derrotando grandes nomes do Jiu-Jitsu. No Rio Open, que ferveu o ginásio do Tijuca Tênis Clube no último final de semana, o atleta faturou o ouro entre os pesados e fez uma luta duríssima com Braga Neto na final do absoluto, perdendo nas vantagens. Campeão absoluto na marrom em 2008, Rodolfo lamenta a prata no peso.

“Eu estava tentando me ajeitar ali por baixo, mas o bicho pesa pra caramba por cima e é difícil de raspar, mas eu consegui uma raspagem. Achei que fosse ficar bem, mas ele acabou encaixando um triângulo e ficou com a vitoria”, relembra, feliz com o ouro no peso. “Está bom demais, estou feliz pra caramba. Com menos dois meses de faixa-preta ganhei no pesado e fui vice no absoluto, que nem esperava chegar à final”, comemorou, reconhecendo na preparação física um dos detalhes a serem melhorados para os próximos torneios.

“Passei uma temporada nos Estados Unidos com o professor Claudio e, quando voltei, meu preparador físico estava meio sem tempo e fiquei só treinando Jiu-Jitsu direto, durante um mês. Fico feliz de ter chegado à final e feito uma boa luta para a galera, mas acho que faltou uma ênfase maior na parte física”, finalizou o campeão peso pesado do Rio Open.

Bolsa-Atleta reabre inscrições

Novo período vai até 6 de agosto

Os atletas de alto rendimento que perderam a data de inscrição no Bolsa-Atleta do Ministério do Esporte terão a oportunidade de se inscreverem no programa, no período de 27 de julho a seis de agosto. As inscrições para o ano de 2009, que haviam se encerrado no dia 31 de março, foram reabertas para completar o período de três meses, o mesmo dos anos anteriores. O programa é voltado para atletas de alto rendimento que não possuem patrocínio.

O benefício é uma ajuda financeira mensal durante um ano e atende em quatro categorias de bolsa. São elas: Estudantil (R$ 300), Nacional (R$ 750), Internacional (R$ 1.500) e Olímpica e Paraolímpica (R$ 2.500).

Após fazer a inscrição on line, o atleta deverá imprimir a ficha e encaminhá-la, juntamente com a documentação solicitada, ao Ministério do Esporte.

A documentação original deve ser enviada pelos Correios para o seguinte endereço: Secretaria Nacional de Esporte de Alto Rendimento – Programa Bolsa-Atleta, SAN – Quadra 01 Lote “A” Edifício Denit – Brasília (DF) CEP 70040902. A correspondência, para ser aceita, deve ser postada até o dia 06/08/2009.

Pré-requisitos para contemplação

Para a inscrição na Categoria Estudantil, é exigido ter 12 anos completos, estar matriculado em instituição de ensino público ou privado, ter alcançado o 1º, 2º ou 3º lugar nas Olimpíadas Escolares ou nas Olimpíadas Universitárias (jogos organizados pelo Ministério do Esporte com a parceria do COB), em esportes individuais, ou estar entre os 24 melhores atletas selecionados nos esportes coletivos durante o ano de 2008. O mesmo se aplica aos três primeiros classificados nos campeonatos Paraolímpico Escolar e Paraolímpico Universitário brasileiro.

Para concorrer ao benefício na Categoria Nacional, é necessário ter 14 anos completos, estar vinculado a uma entidade de prática desportiva (clube), ter filiação à Entidade de Administração de sua modalidade, tanto Estadual (Federação) como Nacional (Confederação), ter participado de competição em 2008 tendo obtido a seguinte classificação: de 1º a 3º lugar no evento máximo nacional organizado pela Entidade Nacional de Administração de sua modalidade, ou de 1º a 3º lugar no ranking nacional por ela organizado.

A inscrição na Categoria Internacional é permitida para quem tem pelo menos 14 anos completos, está vinculado a uma entidade de prática desportiva (clube), tem filiação à Entidade de Administração de sua modalidade, tanto Estadual (Federação) como Nacional (Confederação), tenha participado de competição em 2008 tendo obtido a seguinte classificação: de 1º a 3º lugar em Campeonatos Mundiais de sua modalidade; Jogos ou Campeonatos Pan-americanos e Parapan-americanos, ou Jogos ou Campeonatos Sul-americanos.

Já para a inscrição na Categoria Olímpica e Paraolímpica, é necessário ter pelo menos 14 anos completos, estar vinculado a uma entidade de prática desportiva (clube), ter filiação à Entidade de Administração de sua modalidade, tanto em nível Estadual (Federação) como Nacional (Confederação), ter integrado na qualidade de atleta a delegação brasileira na última edição dos Jogos Olímpicos ou Paraolímpicos.

Para mais informações acesse: www.esporte.gov.br
Fonte GracieMAG

Braga Neto e as conquistas no Rio Open

Campeão mundial em 2008, o faixa-preta Antonio Braga Neto foi o grande nome do Rio International Open, que agitou o ginásio do Tijuca Tênis Clube no último final de semana. Além de finalizar todos os adversários no peso, Braga também abocanhou o ouro no absoluto, batendo Rodolfo Vieira, que vinha de conquista nos pesados.

Após o triunfo, o atleta conversou com a TATAME sobre e parabenizou Rodolfo, único que não foi finalizado por ele na competição. “O Rodolfo está de parabéns, mais uma vez entre os tops, um cara que acabou de chegar na faixa-preta”, elogia, relembrando que já foi derrotado por Rodolfo este ano. “Quando ele era marrom me venceu na seletiva do World Pro, que era uma luta de seis minutos. Foi campeão, méritos para ele naquele momento, mas no Rio Open consegui ser campeão”, comemora, reiterando que em nenhum momento sentiu que a vitória escaparia.

"Deixei ele me raspar e ataquei com um triângulo... Não tentei administrar a luta, fui para a finalização como sempre, mas ele é um atleta muito duro, muito forte, por isso um resultado tão apertado”, comentou o faixa-preta que dedicou a vitória à sua academia a Roberto Gordo, a quem considera como um pai. “A minha academia é a minha família porque é onde eu estou a maior parte do tempo, onde passo a minha vida, então não considero a minha segunda casa, e sim a primeira. O Mestre Gordo é o meu pai, que me acolheu aqui no Rio de Janeiro há quase cinco anos atrás, é a pessoa mais importante na minha carreira”, finalizou o campeão.

Fonte TATAME

quarta-feira, julho 29, 2009

Eduardo Telles

O grande nome do Máster e Sênior, que agitou o fim de semana Rio de Janeiro, Eduardo Telles voltou para casa com duas medalhas de ouro. Competindo no máster e no adulto, foi no primeiro que o faixa-preta brilhou. Após a conquista, Telles conversou com a TATAME sobre os desafios. “No máster a galera é mais amiga, se respeita muito mais e é mais prazeroso, pois você luta com grandes nomes, lendas do Jiu-Jitsu... É bem bacana”, disse o atleta de 33 anos, que lutou pela primeira vez no máster. Confira abaixo a entrevista exclusiva com o faixa-preta, que ainda comentou os treinos de Demian Maia para sua próxima luta no UFC, contra Nate Marquardt, e uma possível luta contra Anderson Silva: “o Jiu-Jitsu do Demian realmente é top, é um diferencial grande. Mas não é Jiu-Jitsu, é Vale-Tudo, então fica complicado”.

Foi a primeira vez que você lutou de máster?
Foi a primeira vez. Teve outra vez que me inscrevi, há dois anos, mas tive uma febre e acabei não competindo.

Você está acostumado a lutar no adulto, que são 10 minutos, e no máster são seis. Como é isso?
Isso é ruim. Acho que realmente eles deveriam pelo menos colocar uns oito minutos, seis é muito rápido. Pelo menos a partir do sênior pode ir baixando, porque acho que a maioria do pessoal tem gás para lutar pelo menos oito minutos.

Qual a diferença, fora o tempo?
No máster a galera é mais amiga, se respeita muito mais e é mais prazeroso, pois você luta com grandes nomes, lendas do Jiu-Jitsu... É bem bacana.

Você pegou um gringo (Michael Wilson) na semifinal. Foi o cara mais difícil que você pegou?
Esse gringo realmente é um cara bem difícil. Eu estava com medo dele, porque ele tinha ganhado do Bernardo ontem no adulto. Eu estava com um pouquinho de medo, mas o Elan falou que o homem puxava, aí eu fiquei mais tranquilo.

Você lutou o absoluto e o peso. Como foi essa adaptação?
Mais ou menos, dessa vez não deu tempo de me preparar. Venho treinando a vida toda e não parei, é até bom dar uma descansada e não puxar tanto perto da competição. É bom descansar uma semana, treinando mais leve, ou até duas, para chegar sem lesão e sem nenhum problema.

Como estão os treinos para lutar MMA? Você tem alguma luta marcada?
O Demian vai lutar e eu acabei de marcar uma luta também, dia 18 de setembro, no evento do Godói. Agora vou treinar Vale-Tudo até essa competição, mas sem esquecer o Jiu-Jitsu, que é o carro chefe e não pode ficar para trás.

Você tem expectativa de receber um convite para o ADCC?
Com certeza, seria muito bom. Vou treinar bastante para o MMA sem quimono para estar preparado.

Você acompanha o treino do Demian diariamente. Como ele está para a próxima luta?
Acredito que ele vai se sair bem. Ele é um atleta muito calmo, que ajuda bastante para o Vale-Tudo, e é muito técnico. Apesar do Nate (Marquardt) também ser do Jiu-Jitsu, acho que tem uma grande diferença de um atleta para o outro. Ele é bem agressivo, o que é difícil no Vale-Tudo, tem uma base de Wrestling, mas acho que isso não é segredo para o Demian. Corre um pouco um risco em pé, mas o Demian é canhoto e também não é bobo em pé, sabe chutar, sabe socar... Acho que não da para o Nate, não.

Você acha que, vencendo a luta, o Demian é o cara para bater o Anderson Silva?
É complicado. Depois que vimos o Anderson contra o Thales, é realmente difícil. Ele é um atleta excepcional, não é bobo no Jiu-Jitsu. Já fiz até um treino de sem quimono com ele, ele é muito esperto, tem umas posições boas para o Vale-Tudo, mas nunca se sabe, né? O Jiu-Jitsu do Demian realmente é top, é um diferencial grande. Mas não é Jiu-Jitsu, é Vale-Tudo, então fica complicado, mas nós, que somos do Jiu-Jitsu, temos que acreditar. Gosto muito do Anderson, ele é um cara humilde e gente finíssima, mas o Demian já é meu amigo há muito tempo, ganhamos a faixa-preta juntos.
Fonte TATAME

Cinco perguntas para Feitosa

Marcinho fala sobre Roger, Barral e o desempenho da GB no Mundial de JJ

O que faz de Roger o melhor atleta do Jiu-Jitsu em atividade?
Uma das grandes fortalezas do Roger é o aspecto mental. Ele sempre foi um atleta muito seguro, determinado e tranquilo. Ele não se contenta em estar na média, e por isso você vê ele se desdobrando para ir além. Por exemplo: no Mundial ele quis finalizar nove pessoas com o mesmo golpe, sempre quer ficar em pé com especialistas em queda, por tentar uma manobra arriscada ou finalização se coloca em posições dificílimas e por aí vai.

Vocês já sabiam que Roger atacaria a todos com o estrangulamento da montada?
Comigo ele não comentou nada. Sempre que vejo o Roger se preparando para as lutas ele está caladão, e escuta muito mais do que fala. Foi uma surpresa grande para mim, mas depois que o vi finalizar uns quatro com o mesmo golpe pensei comigo mesmo: 'Ok, dessa vez foi esse o desafio que ele se colocou.'

Você pôs muita expectativa no Rômulo Barral. E ele correspondeu. Como foi o processo de recuperação dele e com que sentimento acompanhou ele lutando?
O Barral era de BH e treinava com o Draculino. E eu era do Rio, então não acompanhei a carreira dele desde o início. Mas nós dois estamos morando aqui na Califórnia e tenho tido a oportunidade de conviver e treinar mais com ele. Ele é fissurado em competição e tem muita vontade de ser o número 1. Ver como o Barral é focado nos treinos inspira a galera toda aqui. Ele passou um sufoco com esse joelho, a lesão era braba, no Pan, por exemplo ele decidiu lutar com o joelho "cheio de água" muito inchado mesmo. Foi muito bom ver ele de volta ao topo, pois o cara realmente merece. Além de ter um Jiu-Jitsu irado, ele é exemplo de dedicação aos treinos.

O que faltou para a conquista do título de equipes?
Faltou uma melhor estrutura para podermos trazer os atletas. Hoje na Gracie Barra não existe um trabalho de acompanhamento para saber com antecedência quem vem, quem se machucou ou quem vai entrar em qual peso. Nós simplesmente marcamos os treinos de competição e a galera vai chegando. Para voltarmos ao número 1 do pódio vamos ter que fazer o dever de casar com mais dedicação.

Quais são os próximos passos da equipe?
Nós marcamos presença forte nos campeonatos do mundo todo, desde o Japão até o Brasil. Nem sei responder de cabeça todas as competições que o time vai participar nos proximos dois meses. Sei do seguinte: Temos a meta de marcar presença em qualquer lugar onde o Jiu-Jitsu esteja florescendo. Queremos sempre trazer a nossa contribuição para o crescimento da arte.
Fonte GracieMAG

ADCC: Saulo entre os pesados

Organização divulga mais convidados

Tamanho não é documento. É com este pensamento que Saulo Ribeiro partirá para tentar chegar ao lugar mais alto do pódio no ADCC 2009. Acostumado a atuar entre os atletas até 77kg, ou mesmo até 88kg, o faixa-preta da Universidade do Jiu-Jitsu está inscrito para enfrentar os grandões quem pesam acima de 99kg no ADCC 2009, competição a ser realizada em 26 e 27 de setembro, em Barcelona, na Espanha.

Quem também está garantido Xande Ribeiro, bicampeão mundial absoluto de JJ (2006/2008), que competirá entre os atletas até 99kg.

Outros convites já divulgados foram os destinados a Rubens Charles Cobrinha (até 66kg), Rafael Lovato Jr. (até 88kg), Baret Yoshida (até 66kg), Pablo Popovitch (até 77kg) e Daniel Tabera (até 88kg).

Também foram chamados: Leo Vieira (até 66kg), Georges St. Pierre (até 77kg), Nate Marquardt (até 88kg), Dean Lister (até 99kg) e Jon Olav Einemo (acima de 99kg).

Anunciado em primeira mão pelo GRACIEMAG.com, Ricardo Arona foi confirmado oficialmente e lutará na categoria até 99kg.

Foram divulgados ainda os preços para aqueles que quiserem assistir ao evento.

O ingresso para um dia custará 50 euros. Já se for para os dois dias de competição sairá por 80 euros. A venda ainda não foi iniciada, mas será disponibilizada na internet.
Fonte GracieMAG

segunda-feira, julho 27, 2009

Braga Neto é o nome do Rio Open

Faixa-preta de Roberto Gordo fatura peso e absoluto

O amazonense Antonio Braga Neto foi o grande destaque do Rio Open, competição encerrada na noite de domingo, no Rio de Janeiro. Após vencer Rodrigo Cavaca (Checkmat) na final do super pesado, o atleta da Gordo Jiu-Jitsu foi para aquela que era a mais aguardada luta da noite: o absoluto faixa-preta contra Rodolfo Vieira, da GFTeam. Era chegado o ápice dos quatro dias de campeonato no ginásio do Tijuca Tênis Clube. Com lotação máxima nas arquibancadas, todos queriam ver como seria o embate entre os cascas-grossas.

Às 19:55, os organizadores chamaram para área de luta Braga Neto e Rodolfo Vieira. Era a hora da verdade. Com poucos segundos de luta, Braga Neto tomou a dianteira e puxou Vieira para guarda. Logo depois Netão já ganhava dois pontos no placar por uma raspagem. Estabilizado por cima, Neto conseguiu ainda uma vantagem por chegar na meia-guarda, para delírio de parte do ginásio.

Do lado oposto, a GFTeam com seu bandeirão estirado continuava inflamada na torcida por Vieira, que depois da raspagem de Neto ficou embaixo. Dali e aos gritos dos companheiros de equipe, o jovem talento do mestre Júlio Cesar tentou raspar de volta e permanecer vivo no combate. Neto, por sua vez, não facilitou e com base equilibrada botava pressão em Vieira por cima. Ambos com as pegadas justas no kimono com propósitos diferentes. A luta permaneceu tensa. Neto queria “pregar” seu oponente no dojô. Já Vieira queria sair debaixo raspando. Seus fãs e grande parte da torcida da GFTeam clamavam por um gás final de Vieira e o avisavam que ele estava atrás no placar.

Dramaticamente, o lutador tentava sem sucesso com o braço direito sob a perna esquerda de Neto, a raspagem. Faltava apenas um pouco mais de força. Com movimentos do quadril, por baixo, Vieira começou com sucesso a mover Neto por cima e foi nos segundos finais incentivado. “Vai, moleque, só mais um pouco” disse um amigo. Eis que Rodolfo consegue uma raspagem e o ginásio vem abaixo de excitação. Estrondos nos alambrados de ferro, mas era soado o apito. Emocionado e chateado consigo, Vieira socou o dojô como a lamentar por pouco. Braga Neto ergueu os braços e comemorou a vitória.

“O Mundial foi muito frustrante para mim. Eu que fui campeão em 2008 queria ser bi este ano, vencendo peso e o absoluto. Estava bem treinado para isso, mas infelizmente houve empecilhos. Perdi pro Barral lá e pro Demente, eles são dois grandes lutadores. Foi o dia deles lá e infelizmente foi no Mundial, campeonato mais importante do ano. Mas hoje aqui foi maravilhoso. Lutar no Tijuca, com a torcida. Tive a oportunidade de ter meus amigos lá de Porto Velho, na academia em que eu treinei. Tinha uma galera torcendo pra mim, meu professor lá de Porto Velho, Márcio Frank são essas coisas que me engrandecer. Saber que estiveram presentes uma galera que me viu lutar desde pequeno e estão aqui hoje. Maravilhoso lutar aqui no Rio com o calor da torcida, dos fãs e um pouco de rivalidade entre as torcidas, é legal”, disse Braga Neto.

Já na disputa pelo título do super-pesado, Neto destacou a força de seu oponente. “Cavaca é muito forte, é um monstro. Essa foi a segunda vez que a gente se enfrentou e consegui finalizá-lo ali [Ezequiel da montada aos 9min12s] num momento bom no final da luta. Ele busca a luta o tempo inteiro. Eu não tenho estratégia, acho que ali o objetivo dele era o mesmo que o meu, vir pra cima, buscar a luta. Parabéns pra ele, fez um excelente campeonato. Esse Rio Open aqui estava cheio de grandes competidores”, finalizou Braga.


Campeão peso galo:
Bruno Malfacine (Alliance) finalizou Igor Rodrigues (Checkmat) com um leglock aos 8mins50s de luta.

Campeão do peso pluma:
Carlos Vieira “Esquisito” (Chekmat) venceu Leandro Martins (Checkmat) por 9 a 0.

Campeão peso pena:
Denílson Pimenta (GFTeam) venceu Theodoro Canal (GFteam) por 2 a 0.

Campeão peso leve:
Augusto Mendes “Tanquinho” (Soul Fighters) venceu Bruno Frazatto (Atos JJ) na decisão dos árbitros.

Campeão peso médio:
Não houve luta final. Luis Gustavo Campos “Guga” (Checkmat) fechou com o amigo Thiago Ferreira “Barata” (Carlson Gracie Team). Guga, porém, ficou com a medalha.

Campeão peso meio-pesado:
Raphael Abi-Rihan (Carlson Gracie Team) finalizou Victor Estima (Gracie Barra) com uma chave de pé aos 2min17s de luta.

Campeão peso pesado:
Rodolfo Vieira (GFteam) venceu por pontos Bernardo Augusto (Alliance)

* Ao final do combate o placar marcava uma vantagem e uma raspagem para ambos, porém Augusto havia sido punido.

Campeão peso Super-Pesado:
Braga Neto (Gordo JJ) finalizou Rodrigo Cavaca (Checkmat) com um Ezequiel da montada aos 9mins12s de luta.

Campeão peso pesadíssimo:
Léo Leite (Alliance) venceu Luiz Felipe Theodoro “Big Mac” (Godoi JJ Club) por 4 a 2.
Fonte GracieMAG

Braga Neto é peso e absoluto no Rio Open

O Rio International Open pegou fogo no Ginásio do Tijuca Tênis Clube, no Rio de Janeiro. Com a cobertura em tempo real, que você acompanhou ao longo do dia, o grande nome do torneio foi Antônio Braga Neto, que conquistou dois ouros e foi o grande nome da competição, vencendo o super pesado e o absoluto. Confira abaixo todos os detalhes das disputas que agitaram o dia na Cidade Maravilhosa.

MASCULINO:

Galo:

Campeão mundial peso galo, Bruno Malfacine (Alliance) não teve muito trabalho para chegar à final. Chegando de baia, o atleta finalizou o único desafio antes da final. Do outro lado, Igor Rodrigues (Checkmat) chegou à final sem problemas.

Final: Malfacine segue brilhando

Continuando a boa campanha, o bicampeão mundial Bruno Malfacine conquistou mais um título. Abrindo 8x0 contra Igor, pegando as costas duas vezes, o faixa-preta garantiu o ouro ao encaixar um arm-lock perfeito, forçando os três tapinhas.

Pena:

No pena, domínio da equipe GFTeam. De um lado, Denílson Pimenta precisou fazer três lutas para chegar à final, enquanto seu companheiro de equipe, Theodoro Canal, também passou por três adversários até chegar à final. Os lutadores ainda não se manifestaram, mas devem fechar o peso para o time.

Final: Pimenta no lugar mais alto

Colocando a GFTeam na final, o público não esperava que Pimenta e Canal se enfrentassem, mas os faixas-pretas decidiram entrar no tatame para ver quem ficaria com o ouro. Com uma raspagem, Denílson abriu os 2x0 no placar que garantiram para ele o lugar mais alto do pódio.

Pluma:

Entre os plumas, mais uma final pode não acontecer. Representante da Checkmat USA, Carlos Esquisito bateu os três adversários a caminho da final, finalizando os dois primeiros e derrotando Samir Champer na semi, por pontos. Na outra chave, Leandro Martins, também da Checkmat USA, venceu os três adversários, incluindo uma finalização sobre Bernardo Pitel, da Nova União, para chegar à final.

Final: Esquisito derrota o companheiro

Contrariando as expectativas, Esquisito e Leandro decidiram disputar o título. Fazendo a quarta luta no peso, esquisito raspou o adversário-companheiro três vezes e passou a guarda, abrindo 9x0 o placar e ficando com o ouro.

Leve:

No peso leve, a final também já está definida. Começando bem contra Chris Westfall, Bruno Frazatto anotou 11x0 no placar e finalizou. Na luta seguinte, o vice-campeão mundial finalizou Berillo Teixeira com um estrangulamento das costas, depois de abrir 4x0. Na semi, Bruno venceu Rafael Formiga. Do outro lado, Augusto Tanquinho venceu três lutas, uma por finalização e uma na decisão, e chegou à final para enfrentar Frazatto.

Final: Tanquinho leva na decisão

Um dos favoritos ao ouro no peso, Bruno Frazatto seguiu firme até a final, mas acabou surpreendido por Augusto Tanquinho. Com uma raspagem e uma punição para cada lado, Tanquinho foi mais para cima, tentando mais uma raspagem, porém sem sucesso. Graças à postura mais agressiva, Tanquinho ficou com o ouro na decisão dos juizes.

Médio:

Um dos grandes nomes entre os médios, o gringo Mike Fowler conseguiu chegar até a semifinal do peso médio, mas acabou parando no caminho quando enfrentou Thiago Ferreira, que havia vencido as duas lutas anteriores. Numa luta dura, Thiago avançou com uma vantagem e enfrenta Luis Gustavo, que bateu Nakapan Phungepho, Zorobabel Moreira e Pedro Elias.

Final: Luis Gustavo fica com o ouro

Com a decisão de fechar o peso com Thiago, Luis conversou com o amigo e ficou com a medalha de ouro. “Como somos da mesma academia e eu vivo da luta, achamos que era melhor fechar e ele me concedeu a vitória”, contou o faixa-preta, dedicando a vitória ao pai, que faleceu há três meses. “Isso foi fruto de muito trabalho... Estou muito feliz de vencer o Rio Open e unificar o título do Mundial. Abri mão de muitas coisas para conquistar esses títulos”, comemorou o campeão.

Meio-pesado:

A final do meio-pesado já está definida. Atual campeão brasileiro, Raphael Abi-Rihan prometeu agressividade no Rio Open, e não teve muito trabalho para chegar à final. De baia, o faixa-preta finalizou suas duas primeiras lutas, contra Mateus Maia e Felipe Gargamel. Na outra chave, Victor Estima só precisou fazer uma luta para chegar à finalíssima. Vencendo a primeira por W.O., o casca-grossa não lutou as quartas-de-final, devido a problemas com o peso do seu adversário. Na luta seguinte, Estima finalizou Rodrigo Fajardo com um arm-lock.

Final: Abi-Rihan surpreende de novo

Depois de surpreender na final do Brasileiro, quando finalizou Tarsis Humphreys rapidamente, Abi-Rihan mais uma vez deu show. Na briga para ver quem ficaria na guarda, Victor Estima partiu para o pé do oponente, que contra-atacou e finalizou, também no pé, para garantir o ouro.

Pesado:

Campeão absoluto faixa-marrom em 2008, Rodolfo Vieira, agora com a faixa-preta, chegou à final do peso. Vencendo a primeira com um estrangulamento pelas costas e a segunda por interrupção médica, Rafael bateu de frente com Léo Nogueira, atual campeão absoluto faixa marrom, que foi graduado faixa-preta após a conquista. Começando bem, Rodolfo abriu 11x0, passando a guarda três vezes, mas relaxou, permitindo a recuperação de Léo, que raspou e caiu quase montado, conseguindo chegar às costas e fazendo seis pontos. Acordando na luta, Rodolfo conseguiu repor e raspar, fechando a luta em 13x6 e chegando à final para enfrentar Bernardo Augusto, que finalizou Ricardo Evangelista com um arm-lock e Alan Regis com um estrangulamento do cem quilos.

Final: Rodolfo fica com o ouro

Na final, Rodolfo Vieira repetiu a boa atuação das lutas anteriores, mas Bernardo não deu moleza. Começando bem, Rodolfo raspou e caiu por cima, ganhando a meia guarda, mas Bernardo inverteu a posição. Segurando a posição, Bernardo foi punido por amarração e o combate continuou assim, empatado nas vantagens. Com uma punição para o seu adversário, Rodolfo levou e melhor e ficou com o ouro.

Super-pesado:

No super-pesado, Braga Neto e Rodrigo Cavaca farão a disputa pelo título. Chegando primeiro à final, Braga Neto esperou de baia e passou na primeira luta, abrindo 10x0 e finalizando com um arm-lock. Na segunda luta, o casca-grossa conseguiu vingar a derrota para Thiago Gaia no Brasileiro e finalizou com um katagatame. Depois de se encontrarem ontem, na disputa pelo absoluto, os lutadores se encontraram novamente hoje, e Braga Neto venceu de novo. Do outro lado, Cavaca esperou de baia e depois venceu as duas lutas que teve, a segunda por finalização.

Final: Braga Neto finaliza mais um

Disputando o ouro, Braga Neto não teve muito trabalho para conquistar o ouro. Depois de finalizar as duas lutas anteriores, o faixa-preta passou, montou e estrangulou Cavaca e garantiu o ouro.

Pesadíssimo:

A final já está definida no pesadíssimo. De um lado da chave, Léo Leite aguardou de baia pela vitória de Michael Wilson, que acabou finalizado. Na semifinal, Léo bateu Victor Hugo por 1x0 e está na final, onde enfrenta Luiz Big Mac, que venceu Rodrigo Rodrigues por 7x0 e garantiu a vaga na final ao vencer Ricardo Bastos nas vantagens (2x0).

Final: Léo leva a melhor no duelo de judocas

No duelo de faixas-pretas de Judô, uma grande final. Começando melhor a luta com uma queda (2x0), Léo partiu para cima de Big Mac durante grande parte da luta, tirando o adversário da área de luta duas vezes. Na primeira punição, vantagem para Léo. Na segunda, dois pontos para Léo, abrindo 4x0. Precisando partir para cima, Big Mac conseguiu uma queda (4x2) e, no chao, conseguiu mais duas vantagens, por chegar do lado do adversário e forçá-lo a ficar de quatro apoios, mas foi só. Vitória e ouro para Léo.

Absoluto: Braga Neto leva nas vantagens

No duelo entre os campeões pesado e super-pesados, Braga Neto levou a melhor. Campeão mundial em 2008 e absoluto na faixa-marrom em 2006, o faixa-preta começou na frente contra o duríssimo Rodolfo, abrindo 2x0 no placar com uma raspagem e conseguindo uma vantagem por ter ganho a meia-guarda. Com o placar permanecendo estático até o fim, Rodolfo ensaiou uma reação ao conseguir uma raspagem e igualar o placar, mas o tempo acabou e Braga Neto conquistou seu segundo ouro.

FEMININO:

Leve:

Precisando fazer apenas uma luta para ser campeã, Bia Mesquita, da Gracie Humaitá, continua fazendo barulho. Diante de Andréa Andy, Bia puxou para guarda logo no começo. Tentando escapar, Andrea deu as costas, abrindo espaço para Mesquita encaixar os ganchos e finalizar, ficando com o ouro.

SÊNIOR 1: Prata no peso, Peposo leva o absoluto

Ficando com a prata no peso, perdendo para Stephen Hall na final, Paulo Rodrigues Peposo deu a volta por cima no absoluto. Fazendo quatro lutas em busca do ouro no absoluto, o faixa-preta bateu todos os adversários por pontos e ficou com o título.

SÊNIOR 2: Gracie Humaitá domina o absoluto

No Sênior 2, o grande destaque ficou por conta da Gracie Humaitá. Garantindo o ouro no pena e leve, com Wellington Dias e Admilson Brites, respectivamente, a equipe ainda fechou o absoluto, com os cascas-grossas repetindo as boa atuações e colocando o nome da equipe no topo.
Fonte TATAME

sexta-feira, julho 24, 2009

Campeões mundiais de olho no Rio Open

Representante da Checkmat, Luis Gustavo, mas conhecido como “Guga”, conquistou o Mundial da CBJJE na categoria peso médio, batendo nomes como Tiago Alves (Barbosa JJ), por finalização, e o amazonense Andre Júlio (FAJJE). Sem quer saber de descanso, o faixa-preta só pensa no Rio Open de Jiu-Jitsu, que rola até domingo, no Rio de Janeiro.

“Minhas expectativas são as melhores possíveis. Apesar de eu saber que vai ser um campeonato muito duro, com excelentes adversários, estou preparado e vamos ver no que vai dar. Eu vou para a vitória, se Deus quiser”, garante, esperando por grandes desafios na categoria. “Na minha categoria todos os adversários são duros, o que vier, veio. Não escolho adversários. Como eu competi esse final de semana, essa semana é mais a fase de manutenção e de descansar o corpo também, mas sempre treinando bem solto para não perder o foco. A galera pode esperar um Guga muito determinado e tentando ser campeão”, comentou.

THIAGO GAIA TAMBÉM QUER O RIO OPEN

Faixa-preta da Nova União, Thiago Gaia voltou com duas medalhas do Mundial da CBJJE. Abocanhando o ouro na categoria super pesado, o casca-grossa ficou com a medalha de bronze no absoluto e agora só pensa no Rio Open, que vai rolar até domingo no Rio de Janeiro. Recebendo a ajuda de Ricardo Bastos e Ricardo Demente na preparação, Gaia quer surpreender e conquistar mais um ouro para a carreira.

“Os treinos estão muito bons no Rio de Janeiro, e com a vinda do Demente fortaleceu mais ainda, o Ricardo Bastos, além de atleta está como professor da equipe puxando esses treinos. O bom dele é que ele põe muita pilha, não tem moleza, mesmo sem gás, tem que treinar”, comentou Thiago. Fique ligado na TATAME para saber mais sobre o Rio Open.
Fonte TATAME

Moraes, o aluno mais dedicado de Minota

Confirmado no GP do Bellator FC, Sérgio Moraes embarcou ontem rumo aos Estados Unidos em busca de treinos ainda melhores. Campeão mundial de Jiu-Jitsu, o faixa-preta da Alliance já está treinando com Rodrigo “Minotauro” em San Diego. “Minotauro é show de bola, quem conhece o cara sabe como ele é”, se empolga o lutador, animado para as “aulas” com o ex-campeão do UFC e Pride. “Esse é um sonho, vou tentar ser o aluno mais dedicado, aprender o máximo que puder, me corrigir ao máximo.. Ele é uma lenda do Vale-Tudo, não tem nada para provar... Estou super ansioso”, finalizou Serginho. “O importante é que eu, como manager, procuro ver o que os atletas estão precisando. O Fábio (Gurgel) faz um ótimo trabalho com o seu time, mas ele está dando seminários na Europa então eu botei o Serginho pra ir treinar Wrestling com o Minotauro, em San Diego”, conta Wallid Ismail.
Fonte TATAME

quinta-feira, julho 23, 2009

Kron luta o ADCC 2009

Faixa-preta vai tentar parar Marcelinho

Com apenas dois anos de faixa-preta, Kron Gracie vai encarar um dos grandes desafios da luta agarrada. O filho de Rickson Gracie foi anunciado no site do ADCC 2009 como um dos competidores da categoria até 77kg, ou seja, lutará para tirar de Marcelinho Garcia a coroa do peso.

Com a confirmação, Kron ganhou ainda um perfil na página oficial do evento. Clique aqui e confira.

Já são portanto quatro os brasileiros na disputa até 77kg. Além de Marcelinho (que tem a vaga por ser o atual campeão) e Kron, estão garantindos Murilo Santana (campeão da seletiva brasileira) e Marcelo Uirapuru, que tem cidadania italiana e venceu a triagem européia.

Confira a lista atualizada do peso até 77kg do ADCC 2009 e fique ligado no GRACIEMAG.com para novas informações sobre o evento:

- Marcelo Garcia (Brasil)
- K-taro Nakamura (Japão)
- Murilo Santana (Brasil)
- Marcelo Uirapuru Azevedo (Itália)
- Toni Linden (Finlândia)
- Don Ortega (EUA)
- Rodney Ellis (Austrália)
- Enrico Cocco (EUA)
- Kron Gracie (Brasil)

E direto do site da GRACIE Magazine Association (graciemag.com/gma), vem a informação que o campeão mundial pesadíssimo de 2007, Rafael Lovato Jr, também estará em Barcelona. Lovato foi convidado para lutar na categoria até 87kg.
Fonte GracieMAG

quarta-feira, julho 22, 2009

Bruno Frazatto vai de leve no Rio Open

Acumulando dois vice-campeonatos mundiais consecutivos no peso pena, ambos contra Rubens “Cobrinha”, o faixa-preta Bruno Frazatto decidiu se testar no peso acima. Em conversa com a TATAME, o duas vezes campeão brasileiro em 2009 (CBJJ e CBJJE) comentou a mudança, que já está valendo para o Rio Open de Jiu-Jitsu, que acontece nos dias 23, 24, 25 e 26 de julho no Rio de Janeiro. “Estou querendo me testar de leve há algum tempo, então vou aproveitar a oportunidade e subir de peso no Rio Open. Estou batendo 73kg e vai ser legal me testar”, conta o lutador, que vai para a categoria das feras Celsinho Venícius, Michael Langhi, Gilbert Durinho, Augusto Tanquinho e Rafael Formiga.
Fonte TATAME

terça-feira, julho 21, 2009

Assista à vitória de Paulão no Dream

Na manhã de hoje, o Dream 10 agitou o público na Saitama Super Arena, no Japão. Sem transmissão ao vivo para o Brasil, resta aos fãs acompanhar os duelos pela internet. Confira abaixo os vídeos da vitória de Paulão Filho, sobre Melvin Manhoef, e a derrota de Vitor Shaolin para o japonês Shinya Aoki. Clique aqui para ver a cobertura completa do Dream 10.

Fonte TATAME

Mário Reis: "Estou no ápice"

Confira a entrevista com o faixa-preta

Gaúcho que há anos é considerado um dos tops no jiu-jitsu, Mário Reis teve uma atuação de gala no Mundial da CBJJE. Após garantir a 14ª medalha em mundiais, quando faturou o ouro no peso pena, declarou, sem saber que ainda viria muito mais pela frente:

"Meu objetivo no jiu-jitsu é buscar sempre a finalização. Busco sempre isso, mas, às vezes, pego adversários que montam uma estratégia, tentam me ganhar no ponto e acabam me prejudicando. Apesar de competir há 12 anos, ainda não me acostumei com esse negócio de pontuação. Meu jiu-jitsu é focado na finalização e hoje consegui alcançar ele, tendo finalizado as quatro lutas."

Entretanto, Mário ainda teria mais quatro finalizações no dia. No absoluto, onde poderia não ser apontado como favorito, já que é de uma categoria mais leve, mostrou que a técnica ainda é capaz de superar a força. A nova vitória, que valeu a 15ª medalha em mundiais, foi em homenagem ao pai, Sérgio Reis.

"Hoje estou num dia muito iluminado. Desde o falecimento do meu pai venho num amadurecimento espiritual, numa sintonia com o corpo, a mente e o espírito. Depois que o meu pai faleceu, há dois meses, senti que veio uma energia a mais para eu ser mais batalhador e aprender que na vida temos que tirar os males para o bem e não consumir a nossa felicidade e desfrutar com a maior energia possível os momentos bons. A coisa que mais prezo é ser uma boa pessoa, um bom exemplo, e acho que hoje foi uma conseqüência da força que o meu pai me manda lá de cima. Uma iluminação final que recebi. Foram oito lutas e oito finalizações, ao meu estilo, então é até difícil expressar o quanto estou feliz."

Portal das Lutas - Que fase incrível...
Mário Reis - Estava num bom dia e consegui estar na melhor forma física. Acho que estou no ápice da minha carreira e consegui finalizar todos os combates.

PDL - É emocionante poder dedicar esse momento ao seu pai?
MR - Para mim é a maior satisfação poder dedicar esse título a ele e a Deus. Temos que ter a humildade de acreditar nele, se não seria uma arrogância, uma prepotência do ser humano achar que é a gente que manda nessa terra. Agradeço também a todos que me ajudaram, à minha família e amigos. A gente não chega aqui sozinho.

PDL - São quantas vitórias em Mundiais, independentemente da Confederação?
MR - Tenho 15 medalhas em mundiais. Oito como primeiro lugar, quatro como segundo e três como terceiro. Em todos os mundiais que lutei subi no pódio, cada vez em uma colocação, mas o que importa no jiu-jitsu não é o título em si. Aprendemos a controlar as nossas emoções, buscamos o equilíbrio e somos exemplo para os que vêm atrás. Acho que isso é mais importante que qualquer título. Temos que mostrar o exemplo de samurai, de dedicação e disciplina. O professor tem que fazer isso não apenas falando, mas com atitude.

PDL - Ser professor e atleta é muito desgastante?
MR - A rotina não é fácil mesmo. Temos que procurar a dedicação o tempo inteiro. Ser professor e atleta é difícil, mas sempre soube conciliar e os meus alunos sabem entender isso. É importante porque os que são competidores se espelham e os que não são se espelham para serem campeões na vida. Temos uma filosofia muito legal na academia, em que digo que o verdadeiro campeão não é só aquele no tatame. É aquele da vida, que segue a filosofia do jiu-jitsu, buscando equilíbrio e controle emocional. Acho que isso é mais valoroso que ser um campeão no tatame.

PDL - Estará no Rio Open, no próximo fim de semana?
MR - Já estou inscrito no Rio Open e vou lutar com certeza. Gosto de lutar tudo e acho importante para manter o ritmo. Se Deus quiser, enquanto tiver saúde estarei lutando.
Fonte Portal das Lutas

Família de Tererê pede ajuda

Faixa-preta precisa ser internado urgentemente

"Estamos perdendo ele". Com a frase dramática a mãe do faixa-preta Fernando Tererê fez um apelo a Elan Santiago, professor da Alliance no Rio de Janeiro. Elan protamente entrou em contato com o GRACIEMAG.com para que a situação do lutador, hoje com 28 anos, fosse divulgada a fim de sensibilizar aqueles que possam de alguma forma ajudar.

Segundo Elan, Tererê precisa urgentemente de ajuda profissional para que seja internado para o tratamento no combate à dependência de drogas.

Recentemente Tererê chegou a ser internado no Rio de Janeiro mas acabou voltando para casa ainda pior. Por isso a ajuda profissional é imprescindível.

Quem quiser entrar diretamente em contato com Elan Santiago e obter mais informações sobre como ajudar, pode fazê-lo pelo telefone (21) 7858-7244.

O GRACIEMAG.com abre o email gracie@graciemag.com para receber mensagens daqueles que possam vir a ajudar Tererê neste momento de dificuldade. As informaçoes serão repassadas a Elan Santiago e para a família do lutador.

Todos na Editora GRACIE torcem pela recuperação de Fernando Tererê e espera que o campeão possa ser ajudado.
Fonte GracieMAG

Berlim, ultima parada no tour europeu...


A academia de Berlim comandada pelo faixa marrom Ulf Elheirt, continua crescendo e tivemos uma ótima semana por aqui, treinos lotados e com participação de outras filiais nossas no final de semana, equipe comprometida em buscar o primeiro título Europeu para a Alliance em 2010.

Fonte Site do General Fabio Gurgel

Mário Reis e a melhor fase da carreira

Finalizando oito adversários no Mundial da CBJJE, que rolou no último final de semana em São Paulo, Mário Reis conquistou o título no peso e absoluto. De volta para casa, o faixa-preta conversou com a TATAME sobre a felicidade de surpreender mais uma vez entre os mais pesados, finalizando atletas com 50kg a mais.

“Isso mostra o quanto o Jiu-Jitsu é magnífico, pura sintonia cabeça, corpo e espírito para fazer as alavancar em busca da finalização, e eu ganhando um absoluto pesando 68kg serve de exemplo do quanto a arte é bela”, comenta o lutador, que vai em busca do Rio Open. “Amo competir e só paro quando não tiver mais saúde para lutar... Agora, vou focar no Rio Open, onde pretendo lutar e dar meu melhor e, depois, não vejo a hora de descansar um pouco, pois não descanso desde março do ano passado”, afirmou o atleta, no bate-papo que você confere amanhã na TATAME.
Fonte TATAME

Big Mac com fome de luta

Faixa-preta volta às competições no Rio Open

Luis Felipe Theodoro, o Big Mac, vai estar presente ao Rio Open, torneio que será realizado entre os dias 23 e 26 de julho, no ginásio do Tijuca Tênis Clube, competindo nas categorias pesadíssimo e absoluto.

Depois de ficar quatro meses afastado dos campeonatos de Jiu-Jitsu, devido a uma lesão no joelho, o faixa-preta está de volta e com muita vontade de competir. O atleta, que se contundiu na final da seletiva do ADCC quando lutava contra Antoine Joude, em fevereiro deste ano, não pôde ir pro Mundial da Califórnia.

“Estive treinando neste último mês e estou com muita vontade de competir e voltar a lutar. Estou muito feliz. Quero retornar com prazer, porque competir é uma coisa que eu gosto e me sinto muito bem. Acho que o título será conseqüência”, disse Big Mac ao GRACIEMAG.com

Atento aos competidores, o lutador já sabe quem poderá enfrentar na sua categoria de peso. “Pelo que vi na checagem, no pesadíssimo, vem aí pela frente o Rodrigo Cavaca e o Léo Leite”, disse Big Mac.

“Gostaria de ressaltar que esse é o retorno de um novo Big Mac, mais focado e com novos projetos”, finalizou o lutador.
Fonte GracieMAG

Barral, o retorno campeão

Faixa-preta lembra o árduo caminho até a consagração no Mundial

O importante é não desanimar. Foi o que fez o mineiro Rômulo Barral, que não se deixou abater após uma grave contusão no ombro que o deixou afastado um ano e meio das competições.

Com passos firmes, o faixa-preta focou-se no retorno e na recuperação após a cirurgia. E veio a colher este ano ainda o resultado na conquista do mais importante título do pano competitivo, o Mundial de Jiu-Jitsu 2009. Barral entrou numa das categorias mais disputadas e com maior número de atletas inscritos, a dos meio-pesados, que este ano teve 40 competidores, e sagrou-se campeão.

E não foi só o título da categoria, Barral encheu os olhos do líder da Gracie Barra Marcinho Feitosa ao chegar na final do absoluto com Roger Gracie. Uma semana antes do Mundial Feitosa demonstrava-se bastante orgulhoso com o empenho e o foco do faixa-preta de Vinícius Draculino e era só elogios. Parecia pressentir o que estava por vir.

A caminho da final do absoluto: Barral finaliza Gabriel Vella aos 7m49s

Depois da conquista do Mundial, já descansado e de volta aos treinos sem kimono de olho em um convite do ADCC e em propostas do MMA, Barral falou ao GRACIEMAG.com do título e de sua determinação no caminho de recuperação.

“O meu retorno graças a Deus está sendo muito bom. Consegui bons resultados no Pan e no Mundial. A volta foi programada desde o primeiro dia após minha cirurgia. Procurei manter uma alimentação super regrada, me dediquei bastante à parte física, fiz muitas posições e repetições. Cheguei a treinar seis meses usando um braço só”, revelou Barral.

E na hora das dificuldades, onde o atleta buscou forças para superação? “A motivação veio sempre da minha família. Da minha esposa, das pessoas que acreditavam em mim. Isso me deu muito força. Me colocando pra frente, me fazendo pensar sempre positivo, em nunca desistir. Eu queria muito voltar bem, não ia passar tudo que passei pra parar ali, dediquei minha vida ao Jiu-Jitsu,isso tudo me animava muito”, conta o atleta.

“Procurei o máximo para me manter em forma, mesmo machucado. Acho que o Mundial foi o fruto desse trabalho que fiz. Foram quase dois anos sem lutar, mas graças a Deus fiz um ótimo campeonato. Agora estou me sentindo muito feliz, pois estou recuperado”, disse.

“Eu tive apoio fundamental. Queria muito poder agradecer essas pessoas de alguma forma, primeiramente Deus que me curou, meus pais, minhas irmãs, meus sobrinhos, minha esposa eu dedico tudo isso pra eles. Pela paciência e pela dedicação. Não só na minha recuperação, mas na minha vida. Também ao Titi [Cristiano Lazzarini], que desde a faixa-branca, quando não tinha nem dinheiro pra pagar academia, sempre acreditou em mim. E aos meus patrocinadores também, que mesmo quando machucado, sem saber quando voltaria, optaram por continuar me patrocinando. Tive amigos fundamentais que estavam sempre do meu lado, todos eles sabem quem são”, finalizou Barral.
Fonte GracieMAG

segunda-feira, julho 20, 2009

I São Carlos Open de Jiu-Jitsu




Sergio prioriza o MMA

Faixa-preta deve lutar GP no Bellator

Recentemente a fera do pan Sérgio Moraes estreou com sucesso na carreira internacional, com uma vitória por finalização na organização americana Bellator. O bom desempenho, junto aos diversos títulos na arte suave, chamou a atenção dos promotores, que garantiram Moraes no GP do evento, que deve ter início em outubro.

"Acho que no Jiu-Jitsu vou dar uma parada até o fim do ano por causa do Bellator. Credenciei-me para o GP, então estou mais dedicado ao MMA neste momento. Mas para o Mundial do ano que vem estou de volta e talvez para o Pan-Americano também. Vamos ver como vão rolar as coisas. Agora é foco total no MMA, no GP do Bellator. Acho que no começo de outubro já luto", disse.

A primeira experiência na nova organização, que vem arrancando elogios de todos os participantes, também agradou Serginho.

"Achei assombrado, uma organização muito louca, com muito respeito. Optei por não ficar no hotel, preferi ficar na casa do Marcelinho (Garcia), mas percebi que em termos de organização e respeito o evento é muito bom. É tudo show de bola e estou amarradão de lutar lá agora."

Sobre os treinamentos para vale-tudo, Moraes não garantiu se serão no CT da Black House, mas a tendência é mesmo partir para os EUA.

"Treino na Alliance e na Cohab com uma galera também. Mas estou com alguns contatos e, se tudo der certo, viajo para os Estados Unidos e pretendo fazer a minha parte de MMA lá fora. Vou deixar uma incógnita para o pessoal, porque não sei ainda se tudo vai dar certo. Quando estiver confirmado, todo mundo ficará sabendo", finalizou.
Fonte GracieMAG

Mario Reis impera no Mundial CBJJE

Veja quem mandou bem na faixa preta, numa tarde de muitas emoções

O gaúcho Mário Reis mais uma vez foi o grande nome do Mundial de Jiu-Jitsu da CBJJE. Campeão em 2008, neste domingo (19 de julho), no ginásio Mauro Pinheiro, em São Paulo, o faixa-preta da Gracie Barra foi ainda melhor e finalizou oito adversários para faturar o peso pena e o absoluto, neste contra atletas bem mais pesados. Emocionado, Mario ofereceu a vitória ao pai, Sérgio Reis, que faleceu há dois meses.

A trajetória de Mario começou na categoria de peso. Depois de finalizar o primeiro oponente, passou a guarda e usou o forte triângulo para acabar com as chances de Maximiliano Campos (Checkmat). Em seguida, na semifinal contra o duro Marcos Cunha (Nova União), começou perdendo por uma raspada, mas encaixou uma kimura e passou para o armlock para decidir. Nas decisão da categoria, trocou raspagens contra Leon Amâncio. Quando o placar estava 6 a 4 a favor, o gaúcho montou e passou para as costas, de onde finalizou com um estrangulamento. Surpresa entre os pesadões do absoluto, o faixa preta manteve o ritmo na categoria. Depois de finalizar mais três oponentes, encarou na final Alan Regis (Gracie Barra), que derrotara feras como Thiago Gaia. Entretanto, a disputa não durou muito. Mais uma vez com o justo triângulo, Mário finalizou e garantiu o segundo ouro do dia.

MALFACINE É BI NO GALO

Entre os galos Bruno Malfacine (Alliance) manteve a hegemonia neste ano de 2009. Vencedor das principais competições, o "Bad Boy" finalizou os três combates. O primeiro com um armlock do triângulo; a semifinal com estrangulamento das costas; e na semifinal, contra Pablo Teixeira (Edson Carvalho), pegou as costas e depois partiu para uma chave de panturrilha. O lutador faturou o bicampeonato mundial na CBJJE.

PABLO SANTOS, A NOVA FORÇA DO PLUMA

No peso pluma, Pablo Santos mais uma vez saiu com o ouro. No primeiro ano de faixa preta a fera da Gracie Barra BH garantiu o título mundial. A campanha começou com finalização sobre Alex Silva (Integração), um justo triângulo depois de começar perdendo. Contra Laércio Barbosa (Lotus), Pablo também começou perdendo por uma raspada, mas depois passou a guarda e aplicou um armlock. Na semifinal o mineiro encarou Leandro Martins num combate bem parelho. Depois do empate em 2 a 2 (raspadas), a vitória veio por uma vantagem a mais. Na decisão o adversário foi Fabio Passos "Monstrinho" (Alliance), que derrotara pelo caminho o duro Bernardo Pitel. Com duas raspagens contra uma o ouro foi assegurado.

O LEVE TAMBÉM É DA GRACIE BARRA BH

Claudio Cardoso derrotou quatro adversários com direito a duas finalizações para subir ao alto do pódio em Sampa. A decisão foi contra Daniel Garcia (Cia Paulista), que vinha dando muito trabalho. Quando a disputa estava empatada em 4 a 4, Cardoso aplicou uma justa leglock e levou mais uma vitória para Minas Gerais.

GUGA É O MELHOR NO PESO MÉDIO

Representante da Checkmat, Luis Gustavo, o Guga, mostrou sua força e venceu grandes pedreiras para garantir o título. Depois de estrangular pelas costas na estréia, bateu Tiago Alves (Barbosa), um dos favoritos. Em seguida contou com a ajuda do companheiro Felippe Porto, que abriu passagem. Do outro lado da chave vinha o amazonense Andre Julio (FAJJE), que derrotara outro candidato ao título, Adriano Silva (Barbosa). E a decisão foi realmente parelha, com quatro pontos para cada lado e empate nas vantagens. Na decisão dos árbitros, o ouro foi para Guga, que partiu para a comemoração.

FERA DA MÁSTER FATURA O MEIO-PESADO

Engana-se quem pensa que ao passar dos 30 o jiu-jitsu fica ultrapassado. Figura marcada no máster, Evandro Pena (Guigo), que este ano também foi campeão brasileiro na entidade, garantiu mais um título. Não coincidentemente, já que se tratam de grandes atletas, a final foi a mesma do Brasileiro, contra Vitor Toledo (Atos). E a finalização veio da mesma maneira: um estrangulamento pelas costas. Chorando de emoção, Pena contou que fez um total de quatro lutas, com três finalizações.

ALLIANCE LEVA O PESADO

Para chegar à final do pesado Fabiano Junior bateu três adversários. Na final encarou Rafael Betega (Cia Paulista), que vem mostrando um jiu-jitsu para frente no primeiro ano de faixa preta. Com sede de vitória, Fabiano tratou de encaixar uma leglock, golpe que insistiu até conseguir finalizar.

THIAGO GAIA É OURO

Depois de bater na trave algumas vezes, foi a vez de Thiago Gaia (Nova União) garantir uma bela medalha de ouro num grande evento na faixa preta. Após finalizar o primeiro combate no superpesado com um estrangulamento da lateral, o carioca encarou na final Robson da Silva (Nogueira Team). O lutador impôs quatro pontos de vantagem no placar e chegou à finalização, novamente com um estrangulamento da imobilização.

GODOY NOVAMENTE

Assim como no Brasileiro da CBJJE, Claudio Godoy (Center Fight) faturou o título no pesadíssimo. Foram quatro finalizações. Com dois estrangulamentos e um Jones choke o paulista partiu para a final contra Roberto Piazza (de la Riva). Na finalíssima, quedou e passou a guarda para finalizar novamente com um estrangulamento.

MENINAS FAZEM BONITO

O grande destaque no feminino foi Michelle Nicolini (Checkmat). No peso leve a casca-grossa fez apenas um combate para garantir o título. Já no absoluto foram duas finalizações e uma vitória por pontos. Na grande final, contra a revelação do Amazonas Davina Maciel (FAJJE), finalizou com um triângulo. Também lutou bem Silvana Abreu (Manimal). Após finalizar a primeira luta no médio com estrangulamento relógio, bateu Erika Carrarine (Edson Carvalho) no combate derradeiro. A vitória foi nas vantagens, após empate em 2 a 2.

PULGA LEVA ABSOLUTO MÁSTER

Atleta invicto no MMA, Alexandre Pimentel "Pulga", que lutou pela Cia Paulista, deu as caras na competição de pano. Sempre com as tradicionais raspagens de omoplata e finalizações o lutador rumou até a decisão do absoluto. Contra Gledson Oliveira raspou de omoplata e depois aplicou um triângulo para finalizar. No pesadíssimo a vitória foi para a Nova União com André Marola e Caio Alencar. Luis Neto passou por quatro oponentes e conquistou mais um título importante no superpesado. No pena Omar Salum (FAJJE) passou por todos os oponentes e no sênior leve o sempre presente Admilson Brites "Juquinha" foi o grande campeão.
Fonte Portal das Lutas

domingo, julho 19, 2009

Super Copa Saúde do Corpo de Jiu Jitsu 2009


Local:Cajubá Country Club
Rua Antônio Marques Póvoa Júnior, 35, Vigilato Pereira, Uberlândia/MG.
Referencia: Atrás do Bretas da Rondon Pacheco
Data: 11/10/2009 (domingo)

Checagem das inscrições até 8:30h

Inicio das lutas 9:00h da manhã


Senhores Professores e suas equipes.Devido ao grande sucesso que foram os eventos de 2005 a 2008, Iuri Reis em nome da Saúde do Corpo e o professor Tiago Rocha tem o prazer de convidá-los para a Super Copa Saúde do Corpo de Jiu Jitsu 2009.
Premiação:
Medalhas até 3º lugar. Premiação em dinheiro para a categoria absoluto (a definir)
EQUIPES: Troféus de Primeiro ao Quinto colocado.
Categorias:Mirim: Em consenso de peso faixas branca com azul claro e amarela
Infantil: Em consenso de peso faixas branca com amarela e laranja com verde
Infanto: Em consenso de peso faixas branca com amarela e laranja com verde
Juvenil: Até 55kg, de 55kg a 65kg, de 65kg a 75kg, de 75kg a 85kg e acima de 85kg (pesagem com kimono antes das lutas)
Adulto: Até 65kg, de 65kg a 75kg, de 75kg a 85kg e acima de 85kg (pesagem com kimono antes das lutas)Faixa branca com amarela e verde. Faixa azul. Faixa roxa. E faixa marrom com preta.As regras da CBJJ.

A taxa de inscrição: R$30,00 até o dia 30 de Setembro de 2009
R$35,00 até o dia 09 de Outubro de 2009 mais 1kg de alimento não perecível para atletas e convidados.

As inscrições do absoluto serão feitas na hora do evento, sem nenhuma taxa a mais.Serão aceitas inscrições até o dia 09/10/09, com camiseta para os primeiros 200 inscritos através do e-mail ou fax:

Prof Tiago Rocha Tel e fax: (34) 88443752 (34) 32346695 / tiagocoelhojiu@hotmail.com
Prof. Fabão (34)9114-5637
Saúde do Corpo Av:Floriano Peixoto, 49 Uberlândia-MG - (34)3223-4949

Depósito no Banco do BrasilAg: 2918-1 CC: 46008-7 Tiago Coelho Porto Rocha

Obs: • .Favor preencher a ficha de inscrição com nome legítimo, peso, categoria, idade, faixa e nome da equipe.• .Somente será aceito pagamentos efetuados diretamente na boca do caixa e confirmados através de fax.• .A pesagem será na hora da luta, com o kimono (o peso do kimono está incluído no peso)• .Não serão aceitas inscrições no dia do evento.• .Os responsáveis pelas equipes deverão chegar até 8h30m para verificar as inscrições de seus atletas.

Campeonato de primeira!

BEIJA-FLOR DE NILÓPOLIS REALIZA COPA DE JIU-JITSU EM AGOSTO

Faixas azuis fazem a festa no Mundial CBJJE

Os faixas azuis tomaram as nove áreas de luta montadas no ginásio Mauro Pinheiro, em São Paulo, no primeiro dia de disputas do Campeonato Mundial da CBJJE, nesta sexta-feira (17 de julho). E a galera apresentou muita técnica nos tatames, mostrando que o futuro da arte suave contará com muitos talentos. Entre os principais destaques do dia Mackson Câmara, José Dias “Polenguinho” e Marcos Paulo venceram nas categorias, enquanto Alberto Emiliano mais uma vez faturou o absoluto, assim como fez no Brasileiro da entidade.

Nos pesos mais leves, João Pedro Rodrigues (Gracie Barra) foi o melhor entre os galos. Depois de vencer três oponentes bateu João Miguel (FBJJE) na finalíssima com um estrangulamento da costas para fechar com finalizações em todos os combates. No pluma o melhor foi Mackson Câmara (Checkmat). Num total de cinco vitórias para ser campeão, o ouro veio sobre o campeão brasileiro da CBJJE Denílson Bischiliari (Atos) com uma queda (2 a 0). No peso pena o campeão foi a fera da Nova União José Dias “Polenguinho”, um dos destaques do dia. O lutador vencera quatro oponentes antes da decisão, que foi contra o campeão brasileiro Bruno Pucci (Checkmat). Depois de ficar na frente no placar, com raspagens e quedas, Polenguinho finalizou com um estrangulamento relógio.

No leve a vitória foi para Jaylson Piter, que fez cinco combates e definiu a final, contra Paulo Pereira (Atos), com uma chave Kimura do triângulo, posição que disse ser em homenagem ao mestre Mario Reis. Marcos Paulo (DDR) foi o melhor no médio. O lutador fez cinco lutas e venceu Diego Mendonça (Núcleo) na final com uma raspagem (2 a 0). No pesado o ouro foi para Thiago Salim (Cia Paulista), que bateu Lucas Berzotti (HJJT) depois de derrotar quatro oponentes, enquanto no superpesado o campeão foi Rodrigo Strabelli (Navarro), que venceu Ruan Moraes (DDR). Já no pesadíssimo João do Vale subiu ao alto do pódio. No absoluto, última categoria do dia, Alberto Emiliano (Nova União) venceu mais uma vez. Agora o faixa azul acumula, além do Mundial, os títulos absoluto dos Brasileiros da CBJJE e CBJJ.

FEMININO

E as meninas também fizeram bonito. No peso leve Darlane Barbosa (CEI JJ) derrotou Jessica Duran (Pulga JJ) na final, tendo vencido um total de quatro lutas. No absoluto feminino a grande campeã foi Louise Santos (Ryan Gracie), que fez quatro lutas e bateu Gisele Lima (FJJA) na decisão, com uma queda (2 a 0).
Fonte TATAME

quarta-feira, julho 15, 2009

Rio Open: Léo Leite está dentro

Faixa-preta ficou fora do Mundial

Léo Leite, atual campeão brasileiro de Jiu-Jitsu na categoria pesadíssimo, é outra fera a confirmar ao GRACIEMAG.com sua presença no Rio Open, que vai acontecer no ginásio do Tijuca Tênis Clube entre os dias 23 e 26 deste mês.

Após a conquista do título no Brasileiro, no dia 17 de maio, o faixa-preta se apresentou à seleção brasileira de judô para competir na Europa, não podendo, portanto, lutar o Mundial de Jiu-Jitsu na Califórnia, por motivos da agenda.

“Estava viajando, quatro semanas na Europa, depois passei mais duas semanas concentrado com a seleção de judô por causa da copa do Mundo de BH e do Grand Slam. Meu ritmo de competição está bom, vim de dois campeonatos lá fora, mais dois aqui. Não quero perder o ritmo, pois em agosto não devo lutar nada, só em setembro terei campeonato na Inglaterra, então decidi me inscrever para lutar Jiu-Jitsu agora”, disse Léo Leite.

O judoca não esconde sua admiração pela arte suave, que não é nada nova. Em 1999, o luador foi camepão mundial na faixa-preta, categoria super pesado. “Adoro lutar Jiu-Jitsu, acho que é uma adrenalina que no judô eu não tenho. Gosto de senti-la quando vou lutar Jiu-Jitsu. Pelo que vi aqui de alguns atletas inscritos, a minha categoria [pesadíssimo] está bem forte. Tem o Rodrigo Cavaca, o Big Mac, que está voltando, mas sempre ganha competições... então será um campeonato bem forte, vou treinar aqui esta semana e a próxima para pegar os reflexos das posições de chão para poder lutar bem na semana que vem”, finalizou Léo Leite.
Fonte GracieMAG

Alliance confiante para o Rio Open de JJ

Após o tetracampeonato mundial de Jiu-Jitsu em junho, a Alliance mais uma vez promete ir com tudo no Rio Open, que vai rolar entre os dias 23 e 26 de julho no ginásio do Tijuca Tênis Clube, no Rio de Janeiro. Tricampeão brasileiro e mundial na faixa-marrom, Leonardo Nogueira já confirmou a inscrição no evento e não vê a hora de estrear com a faixa-preta, que foi conquistada no dia primeiro de julho, conforme foi noticiado na TATAME.

“Estou bastante ansioso para estrear na faixa preta... Tenho treinado muito todos os dias, e espero conseguir um bom resultado", conta o faixa-preta. Outro casca-grossa da Alliance que também garantiu presença no Rio Open é o faixa-preta campeão do Nacional Cup, Bernardo Augusto, que pela primeira vez vai lutar no mesmo peso do seu companheiro de equipe, Léo Nogueira. “Estou bastante empolgado, porque este vai ser o primeiro campeonato de Jiu-Jitsu que vamos lutar na mesma categoria. Estamos rolando todos os dias, treinando bastante, para conseguirmos boas colocações. Venho embalado de vários campeonatos, quero manter esse ritmo, e se Deus quiser conseguir um bom resultado também no Rio Open”, finalizou Bernardo.
Fonte TATAME

Rio Open como o primeiro passo

Frazatto já de olho no Mundial 2010

Frazatto em ação contra Theodoro Canal no Brasileiro
O faixa-preta da Atos JJ Bruno Frazatto é mais uma estrela do pano a confirmar ao GRACIEMAG.com participação no Rio Open, evento que vai rolar no tradicional ginásio do Tijuca (RJ) entre os dias 23 e 26 de julho.

Depois de chegar à final do peso pena no Mundial de JJ de 2009, onde protagonizou acirrado combate com Rubens Charles Cobrinha, Frazatto aproveitou para tirar férias de três semanas. Agora o lutador já está de volta e aproveita o Rio Open para retomar o ritmo.

“Estou iniciando um novo ciclo de treinamento para o Mundial de 2010. Desta forma, escolhi algumas competições ainda em 2009 de nível técnico forte para servir como preparação para o Mundial do ano que vem. Meu objetivo é fazer grandes lutas, buscando sempre o lugar mais alto do pódio”, disse Frazatto.

Esta será a primeira participação de Frazatto no Rio Open, que está em sua segunda edição. “Como estou iniciando uma nova temporada treinamento visando o Mundial, posso dizer que os treinos para o Rio Open estão muito pesados, com um volume enorme e intensidade alta”, disse.

Após a conquista do Brasileiro deste ano entre os penas, Frazatto sente que está no caminho certo para chegar mais vezes ao pódio. “Minha confiança está muito boa, ganhei meu terceiro título brasileiro na preta, fui vice-campeão mundial novamente, fazendo uma luta muito dura com o Cobrinha. Acredito que estou no caminho certo, e que só são necessários alguns ajustes para a temporada ser melhor que a anterior”, afirmou o lutador.
A cobertura completa do Mundial 2009 você encontra na GRACIEMAG # 149, que já está nas bancas de todo o Brasil. Clique aqui para saber um pouco mais sobre a edição especial e corra para garantir a sua.
Fonte GracieMAG

terça-feira, julho 14, 2009

Hélio Fadda é homenageado no Rio


Vai rolar em Paracambi, Rio de Janeiro, no Cassino Municipal, dia 29 de agosto, o torneio em homenagem ao mestre Hélio Fadda. A origem do Jiu-Jitsu que conhecemos hoje vem de três linhagens: o Japonês, o Gracie Jiu-Jitsu e o Fadda Jiu-Jitsu. Humberto Fadda, pai de Hélio, deu o nome ao filho em homenagem a Hélio Gracie, que em 1954 declarou è revista dos esportes: “é preciso existir um Fadda para mostrar que o Jiu-Jitsu não é privilegio dos Gracie”.

O evento está entrando em contato com a CBJJ, LBLA, CBJJO, que vão entregar a Hélio Fadda o diploma de mestre das referidas instituições, só que o detalhe é que Hélio não sabe disso. O faixa-preta de Jiu-Jitsu, Alexandre Paiva é quem está por trás da organização dessa grande festa e disse a TATAME o que vai acontecer.

“As crianças não pagam e vão fazer lutas com renomados nomes do Jiu-Jitsu, pois pretendo reunir os mais antigos professores ainda vivos para estarmos juntos. Vamos homenagear o Oswaldo e o Humberto, que estarão sendo representados, assim como o Hélio Fadda. Não poderíamos deixar de fazer essa homenagem, estamos perdendo muitos mestres e nos sentimos tristes de não tê-los homenageado em vida. O mestre Hélio foi um dos maiores e vai haver uma luta de telecatch para as crianças e público, pois o mestre lutava na TV no programa o Capitão Furacão”, contou Paiva. Para maiores informações, entre em contato através do e-mail instr.paiva@ig.com.br e pelo telefone (21) 9245-1745.

Fonte TATAME

segunda-feira, julho 13, 2009

Rafael Mendes fatura o ouro no DEEP

Rafael Mendes voltará para o Brasil com a bagagem mais cheia. Em ação no DEEP-X 4, no Japão, o faixa-preta precisou de apenas 58 segundos para garantir mais uma medalha de ouro. “Ele finalizou em 58 segundos nas costas, puxando para a guarda e atacando as costas”, conta Guilherme Mendes, irmão de Rafa. Depois da conquista e de brilhar na Rickson Cup, o campeão voltará a Rio Claro, em Sampa, esta semana, mas não sem antes ministrar seminários na terra do sol nascente.

Arizona State Championship

Farias, Beauregard são destaque do fim de semana

Abrigados dos 45 graus (113F) que o deserto impunha no lado de fora, cerca de 430 atletas passaram parte do fim de semana no ginásio da Westwood High School, em Mesa, competindo no Estadual do Arizona de 2009, o primeiro campeonato de Jiu-Jitsu da região a acontecer em dois dias.

"Eu comecei há oito anos, com cerca de 40 atletas", conta Gustavo Dantas, vice-presidente da federação local, e organizador do campeonato, que se baseia nos moldes da IBJJF, que promove o Pan e o Mundial da modalidade.

Se a quantidade de atletas aumentou em cerca de 1000% a qualidade do Jiu-Jitsu por aqui vem evoluindo em proporção semelhante. Comandados pelo faixa-marrom campeão mundial em 2008 Ryan Beauregard (BJJ Revolution), que se movimentou como uma máquina para levar o médio e o absoluto, e de Ryan Heilman (GD Jiu-Jitsu), ouro no absoluto roxa, atletas das faixas marrom, roxa, azul e branca, além de crianças e juvenis mostratam talento, técnica e preparo, as qualidades necessárias para brilhar em competições de Jiu-Jitsu. Aliadas à experiência, claro.

"Quanto mais os atletas competirem por aqui, maiores as chances de se destacarem no Pan e no Mundial", afirma Wellington Megaton, pioneiro no Jiu-Jitsu no Arizona. "E como a federação faz 4 campeonatos por ano, é uma ajuda e tanto", conclui o único faixa-preta a ter lutado todos os Mundiais da história.

O aluno de Roberto Traven Carlos Farias (Lion's Den), que se mudou há pouco para a região, foi o destaque do absoluto master da faixa-preta, chave que tinha ainda Regis Lebre (Saulo Ribeiro) e os alunos de Pedro Sauer John Carlquist e Paul Sizemore.

Farias passou por Sizemore no primeiro combate e aguardou o confronto entre Carlquist e Lebre. Com uma guarda solta e ataques afiados, John conteve as investidas de passagem de Regis e acabou chegando à finalização com uma chave de joelho reta. Regis não chegou a bater, mas gritou "Aiii", e o juiz interrompeu, fazendo valer uma antiga regra do Jiu-Jitsu: gritou, perdeu. Lebre saiu com o semblante contrariado, mas depois reconheceu que a decisão foi acertada.

Na finalíssima, Farias chegou a sofrer uma chave omoplata, mas escapou já caindo em boa posição. Ajustou o estrangulamento e obrigou Carlquist a desistir, faturando o ouro e os 1000 dólares de premiação.



Com 45 graus lá fora, o ginásio da Westwood High School era um senho abrigo para atletas, familiares e fãs.

Fonte GracieMAG

Durinho fatura cinturão e espada no Naga

Faixa-preta vence com e sem kimono

Faixa-preta da Atos que se destacou no Mundial de Jiu-Jitsu, Gilbert Burns, o Durinho, continua a boa fase nas competições nos Estados Unidos. No último sábado (11 de julho), na Carolina do Norte, foi um dos destaques do NAGA, tradicional evento de luta de chão do país.

"Acordei com um furúnculo no joelho e até pensei que não poderia lutar, mas fiz uma bandagem boa e fui para a batalha", falou Durinho, que faturou as principais categorias em disputa.

"No absoluto sem kimono finalizei a primeira luta numa chave de pé reta, a segunda e a terceira finalizei na leglock e a quarta ganhei o Rafael Rosendo da Alliance por 4 a 2. Na final lutei contra um wrestler muito grande. Chamei para a guarda, ataquei o tempo todo e, por isso, venci na decisão dos árbitros", disse ele, que também foi bem lutando de pano. "De kimono só tive uma luta. Lutei contra um faixa-marrom e, depois de fazer 10 a 0, finalizei no pescoço. No absoluto sem kimono ganhei um cinturão e na categoria de kimono ganhei uma espada."

A espada dada como prêmio não evitou brincadeiras sobre a polêmica comemoração da Atos. Entretanto, em entrevista recente ao Portal das Lutas, o lutador já havia explicado o significado da comemoração da espada: "Não queremos desrespeitar ninguém. Somos uma equipe que tem essa característica religiosa e procuramos passar essa mensagem. A logo da Atos é um escudo com uma espada. O escudo simboliza a nossa fé e a espada significa a palavra (de Jesus). Então quando comemoramos desse jeito não quer dizer que estamos matando alguém, nem nada disso", explicou.

Outros destaques do Naga foram os alunos do faixa-preta Roberto Traven. "Teve o pessoal do Traven que lutou super bem e medalhou. Um dos destaques foi o Marlon Vera, que venceu na categoria com e sem kimono faixa-marrom e no absoluto", encerrou.
Fonte GracieMAG

Em nome do pai

Mário Reis busca título especial no Rio Open de Jiu-Jitsu

Quem for assistir ao Rio Open, no ginásio do Tijuca Tênis Clube, entre os dias 23 a 26 de julho, vai poder conferir competidores do nível técnico do bicampeão mundial Mário Reis, que confirmou ao GRACIEMAG.com sua participação no campeonato organizado pela Confederação Brasileira de Jiu-Jitsu (CBJJ).

Vencedor do Rio Open do ano passado, e campeão Europeu de Jiu-Jitsu de 2009, o pena da Gracie Barra merece ser sempre temido pelo seu estilo para frente e finalizador. Seu tradicional declaração a esse respeito é “a melhor defesa é o ataque”.

Em clima de competição, Reis analisou de forma geral categoria pena e disse de forma confiante que não se prepara pensando nos adversários, e sim nos campeonatos. Segundo o atleta, os treinos não param. Desde março do ano passado até hoje, o faixa-preta da Gracie Barra lutou 10 campeonatos.

“Na realidade eu me preparo para o campeonato, e não para esse ou aquele atleta. Conheço o jogo dos principais atletas da minha categoria. Estudo o jogo de cada um e ao mesmo tempo faço uma preparação bem focada. Sei que a categoria pena é de atletas extremamente técnico, muito bem fisicamente, pois é uma categoria que exige muita explosão muscular e técnica, pelo fato do pessoal ser bem leve. Então estou bem focado. Espero conseguir o título, assim como consegui no ano passado”, disse Mário Reis.

E Reis sempre demonstrou garra e força interior para superar as adversidades, não só no Jiu-Jitsu, mas também na vida. Com uma visão pró-ativa e esperançosa, o faixa-preta comentou a recente perda de seu pai (Sérgio Reis), aquele que foi um dos seus maiores incentivadores.

“Meu pai sempre me incentivou e me deu força para continuar forte no esporte. Desde que entrei no Jiu-Jitsu comecei a me dedicar de forma diferente dos outros esportes que fazia, e meu pai sempre viu meu caminho. Meu pai em vida fez tudo que ele poderia fazer por mim, tudo. Acho que depois do falecimento dele eu me fortaleci de uma maneira que vai me ajudar a me manter na trajetória campeão, sempre buscando ser um exemplo. Claro que vou sentir saudade, mas isso me fortaleceu. Agora vou continuar lutando com muito mais vontade e vou ver se consigo dedicar esse título aí do Open ao meu velho”, finalizou Reis.
Fonte GracieMAG

domingo, julho 12, 2009

Durinho promete mais espadadas

Lutador compete no NAGA e minimiza polêmica na comemoração da Atos

Faixa-preta que impressionou no Mundial de Jiu-Jitsu, Gilbert Burns, o Durinho, se prepara para uma maratona de combates. Neste sábado, no NAGA, que acontece na Carolina do Norte (EUA), o lutador da Atos disputa em quatro categorias (peso e absoluto com e sem kimono). Depois da polêmica comemoração da espada, repercutida na GRACIEMAG #149, Durinho promete muitas espadadas no evento americano.

"Quero continuar dando espadadas!", brincou ele, que depois explicou: "Estou concorrendo a quatro espadas aqui, o prêmio aos campeões, e vou tentar ganhar pelo menos uma delas. Se vencer, vou oferecer uma ao Guto Campos", disse.

Sobre a polêmica da comemoração, principalmente com lutadores da Alliance, Durinho diz que não é nada pessoal.

"A comemoração fica só ali no tatame, mais por aquele esforço que passamos por aquele momento. Essa rivalidade que a gente tem fica ali. Os caras (da Alliance) são super gente boa e tenho uma relação boa com muitos deles. Não queremos desrespeitar ninguém", falou ele, que esclarece o significado da comemoração: "Somos uma equipe que tem essa característica religiosa e procuramos passar essa mensagem. A logo da Atos é um escudo com uma espada. O escudo simboliza a nossa fé e a espada significa a palavra (de Deus). Então quando comemoramos desse jeito não quer dizer que estamos matando alguém, nem nada disso. Estamos querendo passar o poder da palavra e o pessoal da equipe entende dessa forma", explicou.

Fora do Mundial da CBJJE e do Rio Open, competições que queria participar, o lutador pretende manter o ritmo em mais eventos nos EUA.

"Estou ajudando nos treinamentos de dois faixas-marrons do Traven aqui na Carolina do Norte, dois guerreiros, o Marlon e o Fernando Vera. Ficarei aqui até agosto treinando e devo lutar mais uns campeonatos", finalizou.
Fonte Portal das Lutas

Grécia 40º C


Foto da turma da Grécia a mais relax da Europa!!!

Começou hoje a semana de aulas por aqui, a turma como já sabido é muito boa e o Davi faz um trabalho ótimo por aqui, mas tinha tempo que não treinava sob um calor de 40ºC, me lembrou o Rio de Janeiro há muitos anos atrás, o que claro é uma lembrança muito boa.

Fonte Site do General Fabio Gurgel

Estudo recomenda cerveja para atletas

Uma alimentação balanceada é tão importante quanto a preparação física quando o assunto é esporte profissional. E, claro, no MMA não é diferente. Porém, um estudo feito por especialistas em medicina, fisiologia e nutrição da Universidade de Granada deve fazer a alegria dos atletas que curtem uma cervejinha para relaxar. Segundo o documento, que foi aprovado pelo Conselho Superior de Investigações Científicas da Espanha, a “loira gelada” ajuda na recuperação do metabolismo hormonal e imunológico depois da prática desportiva de alto rendimento, previnindo, também, as incômodas dores musculares.

Para Thales Leites, lutador peso médio do UFC que treina até seis dias por semana e entra no octagon em média três vezes ao ano, a notícia foi recebida com surpresa. “Não estava sabendo, mas é uma boa notícia, né?”, brincou o faixa-preta de Jui-Jitsu, que evita o consumo de bebidas alcoólicas quando está se perparando para os combates. “Quando estou com luta marcada, eu corto o álcool totalmente. Quando faltam dois meses pra luta, eu até bebo duas cervejinhas no máximo, mas é difícil. Bebo socialmente quando saio, não sou de beber quando estou em casa”, explica Thales, vendo mais um lado bom do estudo. “Isso é bom, porque parece que é um veneno e que vai acabar com você”.

Ex-lutador do Pride, UFC, Meca e Jungle Fight, hoje produtor de eventos e treinador, Carlão Barreto conta que sempre evitou beber antes das lutas. “Eu gosto de cerveja, mas sempre evitava beber vinho ou cerveja durante os treinos, só após as competições para dar uma relaxada, mas tudo muito moderado”, relembra o lutador, apontando outro “vilão” na sua época de lutador. “Meu único erro era o doce (risos)”. Apesar de polêmico, o estudo destaca que o consumo não pode ser excessivo. Segundo os pesquisadores, os homens poderiam beber até 600ml de cerveja, enquanto as mulheres não poderiam ingerir mais de 400ml diários.

“Todo mundo gosta de uma cervejinha para relaxar e conversar com os amigos, mas nada de extrapolar”, alerta Thales. “Cada um toma no seu limite. Essa é uma notícia boa, não vejo porque não poder, até porque tem ingredientes bons para a saúde”, destaca o lutador do UFC. Com moderação, Carlão também acredita que o consumo não causaria problemas. “Com essas pesquisas novas, acho que o excesso é o grande problema. Tudo depende de como o cara treina e como isso muda a sua vida. Se o cara for uma pessoa regrada pode fazer qualquer coisa, até comer docinho no fim de semana”, finalizou o ex-lutador.
Fonte TATAME

sábado, julho 11, 2009

Maringá Open de Jiu-Jitsu abre inscrições


Estão abertas as inscrições da terceira edição do Maringá Open de Jiu-Jitsu, que será realizado nas dependências do Ginásio de Esportes da Vila Olímpica, em Maringá, no dia 12 de julho de 2009. Segundo a organização do evento, o objetivo desta competição é enriquecer os contatos com os professores das diversas agremiações, para difundir o Jiu-Jitsu esportivo no Paraná. O campeonato será aberto e terá lutas de faixa branca à preta. Mais informações pelo telefone (44) 9978-0973 (Dennis), (44) 9102-0175 (Rodrigo "Feijão") ou pelo e-mail atletadennis@hotmail.com.

Rafael Mendes em ação no Deep

Lutador participa hoje da tradicional competição no Japão

Depois de conquistar o título da categoria pena na Copa Rickson de Jiu-Jitsu, na cidade japonesa de Hamamutsu, Rafael Mendes se prepara para a segunda parte de sua missão em solo japonês. O jovem paulista de Rio Claro vai lutar neste sábado no Deep-X contra um lutador local na categoria até 68kg.

Contente com a vitória na Rickson Cup, campeonato de pano, Mendes já se anima para tirar o kimono e cair dentro de um campeonato de submission. Ano passado, quando ainda estava na faixa-marrom, ele lutou o Deep-X e venceu o atual campeão da seletiva japonesa do ADCC. Esta será então sua segunda participação no campeonato japonês.

Com seu modo centrado de sempre e longe do deslumbramento, Rafa Mendes comentou direto do Japão com exclusividade ao GRACIEMAG.com como foi a semana de preparação para o Deep logo após a conquista da Rickson Cup.

“Depois do título na Rickson Cup eu fiz como sempre, esqueci daquela vitória e mantive meu treinamento focado para o Deep que passou a ser meu objetivo. Treinei todos os dias com meus amigos na Academia Bonsai que me deram todo o suporte que eu precisava”, disse Mendes.

“Os treinos aqui estão muito forte. Com certeza é o melhor treino do Japão. Treinamos eu, os irmãos Marquinhos Souza, professor da Bonsai, e Roberto Satoshi. Além de Juan Caio e o Fernando. O clima foi muito bom, pois treinamos muito focados para sermos campeões. O mais importante, muito unidos como uma verdadeira equipe, independente de representarmos outro time, o que prevalece é a amizade”, disse Mendes.

Guilherme Mendes, com seu fraterno coração de irmão, segue unido a Rafa. De Rio Claro, onde vem puxando os treinos no lugar de Ramon Lemos, que está nos Estados Unidos, Gui não pensa em outra coisa a não ser o triunfo do irmão companheiro de batalha. “Ele vai vencer, se Deus quiser”, afirmou esperançoso o atual campeão Mundial do peso pluma.

Rafa Mendes por sua vez é pura concentração. Parece ávido para entrar em ação e fazer o que mais gosta e sabe. “Minha expectativa é pôr em prática tudo que treinei, conseguindo desenvolver o meu melhor, vou entrar para lutar como sempre faço. Vejo que meu nome no Japão cresceu muito do ano passado para este, vi que todos estão admirando meu trabalho e gostam muito de me ver lutar, e isso não tem preço é uma sensação inexplicável”, finalizou orgulhoso o lutador, que completou 20 anos mês passado.
Fonte GracieMAG

Belo Horizonte recebe Copa do Mundo de Judô

Evento agita a capital mineira durante o fim de semana

O mundo do judô se mudou do Rio de Janeiro para Belo Horizonte. Depois do Grand Slam do Rio, será disputada neste final de semana (11 e 12/7), em Belo Horizonte (Minas Gerais), a etapa da Copa do Mundo de Judô, que também é válida pelo ranking da Federação Internacional de Judô. A competição, realizada no Brasil há três anos, terá número recorde de participantes: serão 23 países e 153 atletas. O evento será no Minas Tênis Clube, com início dos combates às 11h (sábado) e 10h (domingo).

Os principais judocas do país, como os medalhistas olímpicos Tiago Camilo, Leandro Guilheiro, Ketleyn Quadros e Flávio Canto, estão confirmados, assim como o campeão mundial Luciano Corrêa. Diferentemente do Grand Slam, as copas do mundo têm repescagem para atletas que chegarem às quartas de final. No Grand Slam da última semana, o Brasil conquistou dez medalhas (uma de ouro, quatro de prata e cinco de bronze). Em BH a seleção terá 54 atletas. Parte da delegação que competiu no Rio embarcou nesta quinta-feira para Lisboa, onde disputa os Jogos da Lusofonia.

Além dos judocas da seleção brasileira, estarão presentes grandes nomes do judô mundial. Caso dos austríacos Ludwig Paischer prata olímpica 2008 e mundial 2005) e Sabrina Filzmozer (bronze mundial 2005), da belga Ilse Heylen (bronze olímpico 2004) e da argentina Paula Pareto (bronze olímpico 2008), entre outros.

Para Daniel Hernandes, ouro no Grand Slam do Rio de Janeiro, os principais adversários na Copa do Mundo serão os brasileiros:

“Fiz bons treinos para manter o ritmo. Sei que estou mais visado depois do resultado no Grand Slam na semana passada. Sei da importância de ir bem na Copa do Mundo para conseguir disputar meu quinto campeonato mundial”, diz Hernandes, referindo-se ao Mundial de Rotterdam, em agosto. A convocação da seleção brasileira está prevista para o dia 21 de julho.

O austríaco Ludwig Paischer se diz preparado para a Copa do Mundo.

“Espero repetir o resultado obtido no Grand Slam”, disse Paischer que conquistou a medalha de ouro no Rio de Janeiro e conquistou o coração da torcida.

Este é o terceiro ano seguido da etapa da Copa do Mundo em Belo Horizonte, mas é a primeira vez que o torneio valerá pontos para o circuito mundial da Federação Internacional de Judô. O Brasil é o único país que conta com dois grandes eventos do circuito mundial (Grand Slam e Copa do Mundo). Esta será a última oportunidade dos judocas pontuarem no ranking que define os cabeças de chave do Mundial de agosto.

Independente do ranking mundial, a busca por uma vaga para defender o Brasil também está acirrada e um bom resultado em Belo Horizonte será bem vindo. A categoria peso médio no masculino é uma das mais equilibradas. Hugo Pessanha, Tiago Camilo e Eduardo Santos brigam pela posição de titular.

“A disputa está muito sadia. Quem tem a ganhar com isso é o Brasil. Qualquer um dos três que vá para o Mundial, vai representar muito bem o judô brasileiro”, afirmou Hugo, vai atuar pela primeira vez em Belo Horizonte como atleta do Minas Tênis Clube.

Além de Pessanha, o campeonato terá um significado especial para outros atletas três atletas brasileiros que lutarão em casa. Érika Miranda, Ketleyn Quadros e Luciano Corrêa, também do Minas Tênis Clube, terão apoio de familiares e amigos com quem convivem diariamente. A expectativa é que todos os quatro mil lugares do ginásio estejam tomados.

“É muito bom lutar em casa. Tenho certeza que terei o apoio de todos”, contou Luciano Corrêa, atual campeão mundial na categoria meio pesado e líder do último ranking divulgado pela FIJ na quinta-feira (9).

A baixa do torneio vai ficar por conta da ausência de bicampeão mundial João Derly que se lesionou nos treinos da semana.

“Estudei bem os adversários. Posso garantir que estou bem preparado física e tecnicamente”, diz o paulista Leandro Cunha, principal nome do meio-leve brasileiro em Minas.
Fonte GracieMAG

Dupla da Alliance quer dar trabalho no Rio Open

Bernardo Augusto e Leo Nogueira lutam entre os pesados

Uma dupla da Alliance promete dar trabalho aos lutadores do peso pesado do Rio International Open, evento que acontece no Rio de Janeiro a partir do dia 23 de julho. Uma das promessas na faixa-preta, terceiro colocado no Mundial deste ano, Bernardo Augusto se junta ao campeão peso e absoluto do Brasileiro e Mundial na faixa-marrom Leonardo Nogueira, graduado recentemente.
“Acabei de fazer a minha inscrição para o Rio Open. Vamos eu e Leozão de pesado. Estou bastante empolgado, porque este vai ser o primeiro campeonato de Jiu-Jitsu que vamos lutar na mesma categoria. Estamos rolando todos os dias, treinando bastante para conseguirmos boas colocações. Venho embalado de vários campeonatos e quero manter esse ritmo e, se Deus quiser, conseguir um bom resultado também no Rio Open”, disse Bernardo.
"Estou bastante ansioso para estrear na faixa-preta. Tenho treinado muito todos os dias e espero conseguir um bom resultado", finalizou Nogueira.
Fonte GracieMAG

sexta-feira, julho 10, 2009

Keiko apoiará Copa Mestre Hilton Leão


A Copa Mestre Hilton Leão foi criada no intuito de engrandecer o jiu-jitsu em Minas Gerais. Após 12 anos, ganhou vários adeptos que utilizam a competição como projeção para eventos como o Brasileiro e o Mundial pois reúne grandes atletas de renome internacional como Daniele Piermatei, tri-campeã de jiu-jitsu, Tede Márcio, André Munis, entre outros consagrados campeões.

Este ano a competição acontecerá nos dias 8 e 9 de agosto, no Ginásio da AABB de Belo Horizonte-MG, que fica na Av. Otacílio Negrão de Lima, 11840 (orla da Lagoa da Pampulha).

Para se inscrever e obter mais informações você deve acessar o site ds ACADEMIA LEÃO DOURADO.
Fonte KeikoSports

O Rio Open para recuperar a motivação

Denilson Pimenta garantido entre os penas

Esta será a segunda vez que o faixa-preta peso pena Denílson Pimenta participará do Rio Open, que vai acontecer entre os dias 23 e 26 de julho no ginásio do Tijuca Tênis Clube e cujas inscrições se encerram nesta sexta-feira, dia 10. Para se inscrever, clique aqui.

Depois da desilusão com a arbitragem no Mundial, Pimenta se sentiu desanimado em competir e até pensou em não lutar o Open, mas foi incentivado por sua esposa e seu professor na GFTEAM, o mestre Júlio Cesar. “Fiquei muito chateado, mas minha família me deu muita força e agora vou mostrar meu melhor lá no Open”, desabafou Pimenta.

De qualquer modo, é bom o lutador manter o empenho e o foco, pois no peso pena poderá enfrentar lutadores do top de Bruno Frazatto e Mário Reis, que já confirmaram a participação no Rio Open ao GRACIEMAG.com. E Pimenta está consciente disto. “Minha expectativa é a melhor possível, quero fechar com os meus companheiros de equipe. Vou com tudo para cima do Mário e do Frazatto. Quero muito ser campeão”, finalizou o lutador da GFTEAM.
Fonte GracieMAG

No Limite de JJ promete inovar em Sampa


O bairro de Ponte Pequena, localizado no distrito de Bom Retiro, área central da capital paulista, vai receber no dia 2 de agosto, no Clube de Regatas Tietê, o evento No Limite ORGAF de Jiu-Jitsu. Augusto Ferrari, faixa-preta campeão brasileiro e paulista de Jiu-Jitsu, organiza o evento e traz novidades em relação às regras.

“Em um tatame enorme, os atletas das respectivas categorias passarão por uma espécie de rodízio, onde todos vão se enfrentar, como se fosse uma espécie de treinão. Cada competidor iniciará a competição com três pontos e cada vez que o lutador finalizar seu adversário, ganhará um ponto, e ao ser finalizado, perderá. Após cada derrota, o lutador deverá se dirigir à fila de revezamento e a luta só terá fim caso haja finalização, ou seja, os pontos não serão considerados. Se o lutador desistir da luta por cansaço, perderá um ponto. Se o lutador perder todos seus pontos, será automaticamente desclassificado. O atleta que obtiver a maior quantidade de pontos, será o campeão”, explicou Ferrari. Para fazer parte do torneio, entre em contato com a organização através dos telefones (11) 8077-6650, 2087-1154 e 7412-5828, ou pelo site http://www.orgaf.com/.
Fonte TATAME

CBJJ lança Brasileiro sem quimono

Se o primeiro semestre foi recheado de competições de pano, o segundo semestre promete ser de muito Submission com o ADCC, que acontece em setembro, em Barcelona, e com as competições No Gi realizadas pela CBJJ. Após criaram o Mundial No Gi em 2007 e o Pan-Americano No Gi 2008, a Confederação Brasileira de Jiu-Jitsu divulgou essa semana a criação do Brasileiro de Jiu-Jitsu sem quimono. O evento está programado para ter a sua primeira edição no dia 31 de outubro no ginásio do Tijuca Tênis Clube, no Rio de Janeiro.

Mas para aqueles que preferem o quimono, o segundo semestre ainda contará com muitas competições da arte-suave. Dos dias 23 à 26 de julho, acontece no ginásio do Tijuca Tênis Clube, o Rio Open e o Internacional de Master e Sênior. Nos dias 29 e 30 de agosto, a primeira edição do Sudeste Brasileiro de Jiu-Jitsu invade São Paulo e, no dia 12 de setembro, o Brasileiro por equipes promete agitar mais uma vez o ginásio do Tijuca Tênis Clube. Mais informações sobre esses e outros eventos podem ser obtidos no site oficial da Confederação, www.cbjj.com.br.
Fonte TATAME