Pesquisa personalizada

quinta-feira, março 05, 2009

O Jiu-Jitsu como alternativa de vida

Washington Luis tem 20 anos, é morador do Morro do Gambá e divide sua vida entre o quartel e os tatames. O rapaz começou a treinar há nove anos no projeto social Casquinha Jiu-Jitsu Clube, na comunidade onde mora: “Comecei com 11 anos em um projeto esportivo na comunidade onde moro e o que me levou a lutar foram as dificuldades que eu passei com a minha família... Nós que moramos em comunidade, quando entramos no mundo da luta é para esquecermos os momentos ruins que passamos no dia-dia”, comentou o lutador, que atualmente é faixa-roxa da Equipe Top Brother e concilia os treinamentos com a vida militar.

Washington serve no batalhão da Ilha do Governador e, quando está de folga, treina o dia inteiro sem pausa, seguindo à risca o regime militar, só que dessa vez dentro dos tatames. Apesar da pouca idade, o lutador já tem bastante experiência e muitos títulos, dentre os mais significativos estão: Três Campeonatos Brasileiros, um Vice-Mundial, seis Campeonatos Estaduais, um Sul-Americano, três Estaduais e um Brasileiro de Wrestiling e uma Copa Cyclone de Submission. Para ter esse currículo recheado, esse jovem talento vem ralando muito, tanto dentro dos tatames quanto na vida profissional. No curto tempo em que o atleta possui, quando não está no quartel ou nos tatames, navega em sites de lutas, curte um cinema e, é claro, um bom DVD de lutas.

Desperdício de tempo é algo que passa longe do vocabulário do faixa-roxa, que leva uma rotina atribulada e espera em breve dividir a oportunidade que lhe foi dada com as crianças da comunidade: “minha vida é muito corrida e como tenho que trabalhar e treinar, procuro me dedicar ao máximo, no tempo que eu possuo e para 2009 meu principal foco vai ser o Mundial... Quero fazer a criançada da comunidade ser campeões, esse é um dos meus sonhos, além do MMA que estou treinando duro”, disse o incansável lutador.

O professor de Washington, Leonardo Rodrigues “Ligeirinho” acredita que os frutos que seu aluno vem colhendo são mais do que merecidos. “O maior diferencial do meu atleta é a força de vontade, a dedicação e a disciplina nos treinos e em sua vida militar”, comentou o orgulhoso professor que foi e ainda é fundamental, tanto na formação do caráter do rapaz quanto na formação do lutador. “O Jiu-Jitsu é a minha vida, devo tudo aos professores Casquinha e Ligeirinho, sem eles eu não seria ninguém no Jiu-Jitsu e nem na minha vida pessoal, estou aprendendo muito e sou muito grato”, finalizou, Washington.
Fonte TATAME

Nenhum comentário: